PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Golpista é presa por aliciar 20 mulheres com promessas de cirurgias estéticas

Maria Josilene Sales Boris Vasconcelos, 32 anos, se apresentava às vítimas como sendo da equipe de cirurgias plásticas do HGF; procedimento que custa em média R$ 12 mil era ofertado por apenas R$ 5 mil pelo grupo criminoso

SAMUEL PIMENTEL
20:52 | 22/08/2018
NULL
NULL (Foto: )
[FOTO1]Após denúncia de advogados de dois médicos de Fortaleza, as equipes do 1º Distrito Policial (1º DP), no Monte Castelo, passaram a investigar esquema que prometia realizar procedimentos estéticos para mulheres por baixos preços. Nessa terça-feira, 21, Maria Josilene Sales Boris Vasconcelos, 32 anos, foi presa no bairro Álvaro Weyne acusada de ser a mentora do golpe. Na delegacia, nesta quarta-feira, 22, O POVO Online conversou com uma das vítimas da farsa.

[SAIBAMAIS]Maria Josilene, autuada em flagrante por estelionato, atraía as vítimas por meio de mensagens em grupos de WhatsApp dizendo ser membro da equipe de cirurgia plástica do Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Seduzidas pela promessa de Josilene, uma professora de zumba, de 38 anos, que não quis ser identificada, combinou realizar cirurgia para implante de próteses de silicone em seus seios. Ela também mediou uma negociação para sua irmã, de 42 anos, que veio da Holanda, onde mora, para realizar procedimento de abdominoplastia e próteses de silicone nos seios. Por todos os procedimentos seria cobrado valor de R$ 7,5 mil, que deveriam ser depositados na conta de Josilene.

"Ela conquistou a gente e depois pediu para realizar o pagamento por meio de transferência". A professora de zumba alega que a golpista se apresentava como uma intermediária e afirmava "ter acesso a esse tipo de cirurgia e conhecia os médicos".
 
[FOTO5] 
 
A negociação transcorreu desde meados de 2017 e a definição de preço dos procedimentos foi realizada no estacionamento do HGF. Porém, a cirurgia nunca foi realizada, mesmo após dos exames pré-operatórios pagos pela golpista. A vítima de 38 anos diz que fez exames de sangue no Hospital Geral realizados pela própria Josilene.

[FOTO3]Além de procedimentos no HGF, foram feitas consultas com médicos da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza.

Com constantes remarcações do processo cirúrgico o tom das conversas com Josilene mudou. A professora de zumba conta que a golpista era evasiva e decidiu, em julho, registrar Boletim de Ocorrência (B.O). Ela tomou a decisão após ser contatada por um advogado de médico que teve o nome envolvido no golpe, por supostamente ser o responsável por realizar cirurgia de uma mulher vinda de Tauá que pagou R$ 5 mil à Josilene.

A vítima ouvida pelo O POVO Online contou que chegou a ser ameaçada pela golpista, que disse ser membro de uma facção criminosa.
 
[FOTO2] 
 
O delegado titular do 1º DP, Renê Andrade, confirmou que as investigações sobre o caso foram iniciadas recentemente após a denúncia dos representantes dos médicos que procuraram a delegacia após terem seus nomes usados por terceiros na práticas de golpes. "Já temos em torno de 20 vítimas identificadas. Uma de Goiás, da Suíça, da Holanda, várias do interior do Estado", esclarece.

Andrade afirma que o golpe era aplicado há pelo menos um ano e com o decorrer da investigação foi descoberto uma nova vítima que teve procedimentos marcados para o final deste mês por Josilene. "Ela confessa (os crimes). Decidiu colaborar no início e contou detalhes".

[FOTO4]Após interrogar a acusada, a participação de outras três mulheres suspeitas é investigada. Identificadas apenas como Andrea, Landinha e Lú, elas fariam parte do esquema e dividiam os lucros dos golpes entre si. Com Josilene foi apreendido um carro modelo Cobalt, onde foi encontrado extrato bancário no valor de R$ 45 mil. O delegado suspeita que o dinheiro seja fruto dos valores pagos pelas vítimas pelos procedimentos que não foram realizados. "Elas eram sequestradoras de sonhos. Jamais iriam realizar essa cirurgia", reflete o delegado sobre os casos.

O titular do 1º DP ainda conta que Josilene tem passagem policial por estelionato cometido em 2014. O delegado esclarece que as investigações continuam e espera que novas denúncias sejam realizadas após a divulgação do caso. As vítimas podem denunciar os casos no 1º DP, que fica no bairro Monte Castelo.

Após o golpe
Depois de descobrir que tudo se tratava de um golpe e ser ameaçada pela golpista, a irmã da professora de zumba chegou a ficar em estado depressivo, segundo informa a mãe das vítimas. Segundo ela, a filha realizou o procedimento de abdominoplastia com um médico credenciado e pagou R$ 12 mil pelo serviço. "Agora ela está feliz", conclui a mãe enquanto mostra foto da filha após o procedimento.
TAGS