PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Chega a oito número de policiais assassinados em 2018, média de um por mês

Ceará é o estado em que mais morreram policiais no Nordeste nos últimos anos. Segundo a SSPDS apenas um dos policiais assassinados estava de serviço. Ele foi morto ao voltar do trabalho para casa

Samuel Pimentel
20:55 | 23/08/2018
NULL (Foto: )
NULL (Foto: )
[FOTO1]O Ceará atingiu, nesta quinta-feira, 23, a marca de oito assassinatos de policiais em 2018. Com a execução de um sargento, um subtenente e um tenente na Vila Manoel Sátiro, o Estado chegou à média de um homicídio de policial por mês. Nos dois anos anteriores, o Ceará foi um dos quatro estados do País onde mais policiais são mortos. Os dados são da Associação dos Profissionais de Segurança (APS) e da Secretaria daSegurança Pública e Defesa Social (SSPDS).
 
1º Petronilo Leonardo da Silva Neto  
O primeiro policial morto em 2018 foi o sargento da reserva Petronilo Leonardo da Silva Neto, policial da reserva de 63 anos, no dia 21 de janeiro, no bairro Conjunto Esperança, após ser abordado por um homem que disparou várias vezes contra o PM.
 
2º Francisco Wagner Alves de Araujo 
Um mês depois, no dia 24 de fevereiro, o agente da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) sargento Francisco Wagner Alves de Araujo foi morto ao trocar tiros com policiais do grupamento do Batalhão de Policiamento de Ronda e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), na BR-222, em Caucaia.
 
3° Marcos Antônio de Sousa Ribeiro
No primeiro dia de março mais um policial foi morto. O cabo da PM Marcos Antônio de Sousa Ribeiro era destacado na 3ª Companhia do Batalhão de Policiamento de Guarda de Estabelecimentos Penitenciários (BPGEP), foi morto enquanto chegava na sua residência no bairro Jangurussu, em Fortaleza. Neste caso, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social considera a morte do PM como se ele estivesse de serviço por estar em trânsito do trabalho para sua casa.
 
4º  Francisco Bonivarde Castelo Branco Naum
O quarto policial morto em 2018 foi o sargento da PM Francisco Bonivarde Castelo Branco Naum, que no dia 1º de maio foi assassinado por um inspetor da Polícia Civil que após discussão trocaram tiros em barraca de praia. O PM de 28 anos foi atingido e morreu.
 
5º Juciano de Lima Barbosa 
No fim de julho, o subtenente aposentado da PM Juciano de Lima Barbosa foi morto por dois homens que chegaram ao local onde o policial da reserva comemorava o aniversário do filho, no bairro Parque São José, e o alvejaram com dois tiros. Juciano chegou a ser atendido para o Frotinha da Parangaba, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
 
6º José Augusto de Lima, 7º Antonio Cezar Oliveira Gomes e 8º Sanderley Cavalcante Sampaio
Passados alguns dias do último caso, três policiais foram mortos numa mesma ação. O sargento José Augusto de Lima, 58 anos, o 2º tenente Antonio Cezar Oliveira Gomes, 50, e o subtenente Sanderley Cavalcante Sampaio, 46. Das vítimas, apenas o último estava na ativa. Os três estavam num bar quando foram surpreendidos por homens armados em carro preto.
 
[FOTO2] 
 
O tenente Mardônio Aguiar conversou com a imprensa e cobrou uma "mudança radical" do governador Camilo Santana (PT) e do secretário da Segurança, André Costa. "Se não tiver, infelizmente, o Brasil não mudar e vamos continuar presenciando  agentes de segurança sendo caçados, cidadão presos dentro de casa e os bandidos comandando os bairros, as cidades e o País", conclui emocionado.

"Infelizmente mais três irmãos executados. Cada policial abatido é um policial a menos no combate ao crime. Eu peço até pelo amor de Deus ao governador do Estado, secretário da Segurança, comandante-geral e delegado-geral que se reúnam e dê apoio aos seus policiais", apelou, o tenente Mardônio.

A APS e o Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol/CE), divulgaram notas de pesar onde definem o triplo homicídio desta quinta-feira, 23, como "chacina" e que a morte se deve por as vítimas serem policiais militares. "Todos nós perdemos!", lamenta a APS e o Sinpol/CE convoca a categoria para estar presente nos velórios dos policiais.

Anuário da Violência
No Ceará, 25 policiais foram mortos no ano passado e 26 no ano anterior. Durante o serviço nove policiais foram mortos em 2016 e dois foram mortos em 2017. Os dados são do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) divulgado no início deste mês com dados referentes aos últimos dois anos.

Segundo os dados, o Ceará foi o quatro estado do País onde mais morreram policiais em 2017. No ano anterior ocupou a terceira posição no nível nacional. Olhando somente a região nordeste, o Estado lidera o triste ranking.

Somente em Fortaleza, dois policiais foram mortos nos últimos dois anos enquanto estavam trabalhando. Em números absolutos, levando em consideração policiais mortos estando ou não de serviço, temos 14 mortes de profissionais de segurança, em 2016 e 2017.
TAGS