PUBLICIDADE
Fortaleza
Comissão de Sindicância

Após 5 meses, caso de professor acusado de assediar aluna na UFC ainda segue em investigação

UFC diz que comissão continua trabalhando no caso

15:19 | 09/08/2018
No próximo dia 12, fará cinco meses que um professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) foi acusado de assediar uma estudante de 16 anos durante uma aula. Ela era aluna do curso de Agronomia. Em nota, a UFC confirma que o docente continua afastado, mas que o caso ainda está em investigação.

"A comissão responsável pelo processo administrativo continua trabalhando no caso, dentro dos prazos e procedimentos previstos na legislação", diz a instituição em nota.

Em junho deste ano, a Comissão de Sindicância da UFC, responsável por apurar suposto caso de assédio sexual, havia afirmado ter concluído os trabalhos. Na época, o relatório teria sido encaminhado ao reitor, Henry Campos, para apreciação e homologação. No entanto, o caso segue em investigação pela universidade.
O Ministério Público Federal (MPF) instaurou dois procedimentos para investigar o caso, sob responsabilidade da procuradora Nilce Cunha. Por telefone, a assessoria de comunicação do MPF informou que todos os depoimentos foram prestados, incluindo o da estudante e o do docente. O órgão ainda aguarda os documentos solicitados à UFC e o resultado da sindicância.

O POVO Online tentou contatar a família da vítima por telefone, mas as ligações não foram atendidas.
 
O episódio 
 
A jovem de 16 anos assistia aula no Campus do Pici quando teria sido assediada pelo professor. Conforme relatos, o professor chamou a aluna para fazer uma demonstração prática sobre força durante a aula. Ele teria pedido que a jovem ficasse de costas, empurrando-a com força três vezes seguidas. Após o terceiro ato, teria proferido comentários de cunho sexual como “ela gosta” e “porrada por trás sempre é gostoso”. Em seguida, teria agarrado a vítima pelas costas, levantando-a. A família abriu a denúncia após os relatos da jovem.