PUBLICIDADE
Notícias

Motorista narra os momentos após acidente na CE 085 que matou três de seus familiares

Motorista do O POVO há 9 anos, Zé Maria diz que, por um momento, pensou que iria morrer e lembrou do colega cinegrafista Agostinho Santos, que faleceu após acidente de carro neste ano

16:01 | 13/07/2018
NULL
NULL
Motorista do Grupo de Comunicação O POVO, José Maria Rodrigues, de 56 anos, descreveu ao O POVO Online memórias que têm do último sábado, 7, quando se envolveu em acidente de carro na rodovia estadual CE 085, por volta de 18h30min. Ele e a esposa, Maria Antônia de Souza Ferreira, de 36 anos, sobreviveram. Suas três sobrinhas, Gleyce Rodrigues, de 55 anos e Quezia Ketllen, de 13 anos - mãe e filha -, além de Nency Rodrigues, morreram. O destino seria Paracuru, para comemorar o aniversário de outra sobrinha, que já estava na praia. 
 
[FOTO1] 
 
Zé Maria, como é chamado pelos colegas, relata que seu carro, modelo Siena, passou por buraco e furou o pneu. "Em seguida, um Fiesta preto passou no mesmo buraco e cortou o pneu. A gente emprestou a chave de roda pra ele fazer o trabalho (trocar o pneu) depois que terminamos o nosso. Em seguida uma moto também foi atingida pelo buraco". Embora não tenha ideia do tempo, ele garante que foi num curto período que três veículos tiveram o pneu furado.
    
Um outro veículo, supostamente uma Ranger, segundo Zé Maria, bateu em um carro modelo Celta. Ambos passavam pelo local. "O Celta rodou e ficou no sentido contrário. (...) Em seguida (a Ranger) pegou todo mundo, meu carro por sinal, e depois disso eu não lembro mais", relata. O motorista levou uma pancada na cabeça, outra no quadril, teve três ferimentos na perna e raladuras na virilha. 

Ele acredita que ficou inconsciente por pequeno espaço de tempo. Depois, acordado, diz que presenciou as sobrinhas, mãe e filha, agonizando. "E eu sem poder fazer nada". Segundo Zé Maria, mesmo em estado crítico, elas resistiram até a chegada no Instituto Doutor José Frota (IJF). Nency morreu no local. "Você ver as suas sobrinhas morrendo e não poder fazer nada é muito ruim, horrível. É difícil relatar a morte de três sobrinhas", externou Zé Maria, em meio às lágrimas. 

"Pensei no pior" 

Mesmo consciente, ele confessa que pensou que poderia morrer. À sua mente, diz, vinha a lembrança do colega Agostinho Santos, ex-cinegrafista da TV O POVO, morto em acidente de carro no km 10 da CE-138, em Solonópole. "Disseram que no momento do acidente ele ainda pegou o telefone e chamou o socorro. Eu só pensei nele, que poderia acontecer o mesmo comigo, porque eu tava consciente".

Retorno ao trabalho e encontro com amigos
 
[FOTO2] 

Nesta sexta-feira, 13, Zé Maria visitou os amigos na sede do O POVO. A volta ao trabalho será na próxima segunda-feira, 16. Ele é funcionário do GCOP há quase 9 anos, que se completam dia 13 de agosto.
 
A reportagem do O POVO Online tentou contato com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE-CE) para saber se o trecho passou por reformas após o acidente. Não houve retorno.  
TAGS