PUBLICIDADE
Notícias

Trio membro de facção que atua no Vila Velha é preso por executar adolescente e motorista de app

O motorista foi assassinado após se perder no Vila Velha e não obedecer as ordens de abaixar os vidros do carro. Já o menino de 14 anos foi morto após boato sobre sua origem, quando estava "jogando bila"

19:50 | 15/06/2018
NULL
NULL
[FOTO1]A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) apresentou resultado de uma operação da Especializada nesta sexta-feira, 15, que elucidou os assassinatos ocorridos em Fortaleza de Felipe Sousa Costa, de 14 anos, no último dia 15 de março, e, nove dias depois, do motorista Francisco Alexandre Lima Oliveira, de 34 anos. Segundo a investigação, as vítimas foram mortas por uma facção criminosa que atua no bairro Vila Velha. Três homens foram capturados.

De acordo com o diretor da DHPP, Leonardo Barreto, foram cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão na Capital, onde a Polícia deteve Antônio Lucas Alves Bezerra, Fred Rodrigues Lima e André de Sousa Ferreira. Fred responde por homicídio e tráfico de drogas; André por furto e homicídio; e Lucas não possui antecedentes. A operação foi coordenada pela delegada Cláudia Guia, da DHPP, com apoio da Unidade Tática Operacional (UTO), dirigido por Antônio Pastor, e equipes do 7º DP (Pirambu), com o titular Marciliano Ribeiro à frente.

De acordo com Cláudia Guia, as vítimas foram assassinadas por integrantes de uma faccção criminosa. A delegada afirma que Francisco Alexandre foi morto após desembarcar um passageiro no Vila Velha, na noite do crime. Depois que finalizou a corrida, por volta das 23 horas, o motorista teria ficado sem internet e GPS. "Ao se perder no Vila Velha, ele entrou na área do 3V (faccção criminosa). Ele não obedeceu as ordens locais de desligar as luzes e abaixar os vidros, além de não ter obedecido a ordem de parada dos criminosos. Mesmo alvejado, ele conseguiu trafegar, dirigir com o carro, mas colidiu. Ele morreu por hemorragia", explica Cláudia.

A organização criminosa atua no Vila Velha, segundo a investigação. Ao todo são quatro mandados de prisão, sendo que um dos criminosos está foragido. Entre os suspeitos, estão dois líderes da organização criminosa que atuam diretamente na área do Vila Velha. Segundo a delegada Cláudia, os três presos também são investigados pela morte do Felipe. Ele havia se mudado há poucos meses para Vila Velha.

Após comentários de que Felipe veio do Rio de Janeiro, mesmo sem confirmação, a organização criminosa resolveu matá-lo. No entanto, Felipe não era envolvido com crimes e veio do Interior do estado. A mãe dele afirmou que no momento do crime ele estava "jogando bila" quando os criminosos vieram pelo mangue e o assassinaram com vários disparos de arma de fogo.

"Por um simples fato da pessoa residir em uma área, já fica sujeito a um ataque nesse sentido. Em alguns casos nós temos percebido isso. Nesses casos, a gente também percebe que alguns indivíduos sejam supostos integrantes da facção rival. Basicamente, fundamentados que as pessoas moram na área da facção rival, já se torna vítima", explica o delegado Leonardo Barreto.

"Eles entendem que aquele carro é um carro suspeito, que pode ser da facção rival e que há um ataque contra eles. E, às vezes, como ocorreu em um caso que o motorista do aplicativo foi assassinado e confundido com alguém de outro grupo criminoso", comentou o diretor da DHPP.
TAGS