PUBLICIDADE
Notícias

Divisão de Homicídios foca suas ações em prender chefes de facções que atuam na Capital

23:35 | 15/06/2018

As operações da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estão focadas em áreas e alvos prioritários. As informações são do titular da Especializada, delegado Leonardo Barreto, e foram repassadas nesta sexta-feira, 15, quando o diretor divulgou, junto com equipe da DHPP, a prisão de um trio suspeito de matar um motorista de aplicativo e um menino de 14 anos, no bairro Vila Velha, em Fortaleza.

Durante a divulgação, Leonardo Barreto comentou sobre as ações. "Há um duplo encaminhamento, foco em áreas prioritárias e alvos prioritários. Ela (delegada Cláudia Guia) focou em um dos líderes, foi uma grande vitória da operação e junto com um dos líderes, (foram presos) mais dois que serviam como mão de obra. Acreditamos com esses resultados, com essas prisões, que haverá uma diminuição de homicídios já nessa área", afirma. 
 

Para o diretor da Unidade Tática Operacional (UTO), delegado Antônio Pastor, a atuação do órgão é basicamente de apoio a unidades da Polícia Civil, com homens responsáveis pela investigação e inteligência.

"Uma vez que é detectada a parte operacional mais direcionada, vamos dar proteção e efetuar toda a operação sem efetuar um disparo. Essa ação intimida qualquer criminoso que queira reagir", relata.


"Nós prendemos quem tem mandado de prisão ou quem está cometendo o crime em flagrante. Na investigação é interessante prender quem exerce influência naquela localidade que o crime está em atuação", explica Pastor.

Segundo o delegado Leonardo Barreto, na área do Vila Velha há uma "zona cinzenta" da disputa de duas facções locais rivais por territórios. Barreto também citou a prisão de um homem que é considerado pela Polícia Civil como um dos maiores homicidas da facção na qual ele integra. Ele foi preso no bairro Edson Queiroz, também durante operação.

"Focamos na microregião em que há maior indíce de ocorrências em que nós ou nosso setor de inteligência identificou, que são áreas sensíveis. Da mesma forma também foi divulgada, no bairro Edson Queiroz, (vulgo) Bobo, Francisco Anderson, que já respondia há inúmeros homicídios. Focando em áreas específicas determinadas, segundo os levantamentos de Inteligência. É a mesma diretriz, focar em uma área mais específica para resultar na diminuição dos homicídios", disse.

TAGS