PUBLICIDADE
Fortaleza
propostas

Comunidades finalizam planejamento urbano popular para Zeis do Bom Jardim

As comunidades que participaram do planejamento foram as quatro maiores e mais vulneráveis da Zeis do Bom Jardim

23:23 | 26/06/2018
(Foto: Divulgação)
Quatro comunidades que fazem parte da Zona Especial de Interesse Social (Zeis) do Bom Jardim concluíram a pesquisa que deve guiar as políticas públicas voltadas para o local. A zona é a segunda maior de Fortaleza e tem quase 30 mil habitantes. Cerca de 24 mil pessoas que moram nesta área vivem em condições precárias de moradia. O plano leva em consideração aspectos que vão desde o saneamento básico até espaços livres de convívio para a população. O objetivo é levar propostas pensadas pelos moradores para a Prefeitura da Capital.
 
Segundo o coordenador do Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza, Rogério Costa, o processo de levantamento de dados e diagnóstico da situação das famílias que compõem a Zeis demorou dois anos. Em parceria com o Programa de Educação Tutorial do curso de Arquitetura da Universidade Federal do Ceará (UFC) e com a Rede de Desenvolvimento Sustentável do Grande Bom Jardim (Dlis), o projeto recolheu dados que a Prefeitura não tinha. Rogério conta que os dados oficiais sobre as pessoas em situação de moradia precária não eram registrados de forma satisfatória pelo governo. 

As comunidades que participaram do planejamento foram as quatro maiores e mais vulneráveis da Zeis do Bom Jardim. São elas: Nova Canudos, Marrocos, Pantanal e Ocupação da Paz. Os relatos de moradores e os aspectos técnicos do estudo se uniram para tratar da situação. O projeto se divide em duas etapas: “a comunidade que temos e a comunidade que queremos”. Rogério explica que o plano deve orientar ações na área, como regulamentação fundiária, relação com o meio ambiente e gestão dos equipamentos sociais.

 “Esperamos vencer a segregação territorial de Fortaleza e fazer com que a Prefeitura leve em conta o plano construído com a população para pensar políticas públicas”, diz o coordenador. Estão em andamento as eleições para comissão que irá decidir os gestores de dez Zeis. Os votos serão colhidos até o dia 7 de julho e ajudarão a escolher três pessoas das comunidades para representar o todo. Rogério espera que quem for eleito possa ter como prioridade as necessidades da população dispostas no documento. 
 
Redação O POVO Online