PUBLICIDADE
Fortaleza
CGD

Caso Giselle: controladoria coleta imagens da Oliveira Paiva, avenida onde universitária foi morta

21:06 | 13/06/2018

FOTO: Alex Gomes/ Especial para O POVO
A Controladoria Geral de Disciplina (CGD) coletou imagens da avenida Oliviera Paiva, no bairro Cidade dos Funcionários, local onde Giselle Távora Araújo, de 42 anos, foi morta durante abordagem policial. Ela teve o carro confundido com o de criminosos.

De acordo com a CGD, foi instaurado inquérito administrativo disciplinar e policial. A CGD ainda informou que o processo tem caráter sigiloso. Nesta quarta-feira, 13, o corpo de Giselle foi sepultado em meio à emoção e tristeza.

A família contesta a versão da Polícia e diz que a mulher e a filha de 19 anos, que estavam no carro, acreditavam que estava acontecendo um assalto contra o automóvel que vinha atrás. Por isso Giselle teria acelerado o veículo. Uma tia da vítima ainda destaca que ela chegou a parar no sinal.

No dia do crime, na noite dessa segunda-feira, 11, os policiais foram até o 13º DP, na Cidade dos Funcionários, acompanhados de advogados das respectivas associações de profissionais da segurança e prestaram depoimento. Na ocasião, O POVO Online apurou que os agentes passariam por exames.  

Giselle concluíria a segunda graduação no próximo dia 28. O POVO Online divulgou na última terça-feira, 12, que a família autorizou a doação das córneas da universitária.  

Redação O POVO Online