PUBLICIDADE
Notícias

Professores da rede municipal de ensino deflagram greve na próxima quarta-feira

Profissionais da categoria rejeitam proposta de reajuste salarial feita pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT). Paralisação começa na próxima quarta-feira, 18, e tem tempo indeterminado de duração

11:36 | 12/04/2018
NULL
NULL
[FOTO1]Os professores da rede municipal de educação de Fortaleza entram em greve na próxima quarta-feira, 18. A decisão foi tomada na última quarta-feira, 11, em assembleia na Escola Filgueiras Lima. Profissionais da categoria rejeitam proposta de reajuste salarial feita pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT) que, para eles, fere a lei do piso dos docentes. Cerca de dois mil professores devem aderir à paralisação.

“A proposta enterra de uma vez por todas a lei do piso”, considera a presidente do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação do Ceará (Sindiute), Ana Cristina Guilherme. Segundo ela, a Prefeitura tem descumprido a lei desde 2016, não realizando os reajustes salariais como é colocado. A lei prevê que haja anualmente, em janeiro, um reajuste automático de 6,81%, além do reajuste da inflação. O prefeito Roberto Cláudio já deu um aumento de 2,95% e sua proposta é de parcelar o restante até o final do ano

Ana Cristina contabiliza que, dos cerca de 6 mil professores em sala de aula hoje, 2 mil são substitutos. Para ela, a Prefeitura não valoriza os profissionais da educação como deveria. “Não estaremos educando nossos alunos se não tivermos uma postura de resistência”, justifica, sobre a greve. O movimento vai iniciar com uma manifestação em frente ao prédio da Secretaria Municipal de Educação.

A Secretaria Municipal de Educação afirmou estar “aberta ao diálogo” e informou que o sindicato já estaria participando de mesas de negociação com o prefeito. A Secretaria também garantiu que cumpre a Lei do Piso, concedendo um valor inicial da carreira acima do piso nacional. Em 2017, a remuneração média de professores e especialistas da rede municipal de ensino foi de R$ 4.647,87. O valor é 9% superior em relação a 2016, considerando o reajuste de 11,36% neste ano.
 
"A SME enfatiza, ainda, que o grupo do Magistério registrou reajuste acumulado entre os anos de 2013 a 2017 no percentual de 51,52%, representando 14,85 pontos percentuais a mais em relação às demais categorias de servidores da PMF, que obtiveram 35,67%. Essa atenção reafirma o compromisso do prefeito com a valorização dos profissionais da Educação", declarou, em nota. 
 
TAGS