PUBLICIDADE
Notícias

Operários reclamam de falta de pagamentos e afirmam que podem paralisar obras na Aguanambi

A Secretaria Municipal de Infraestrutura afirma que não existem pendências financeiras entre a Prefeitura e a construtora responsável pela obra, mas que vai apurar o caso

14:54 | 09/04/2018
NULL
NULL
[FOTO1]Com a previsão de serem entregues no final de julho deste ano, as obras da avenida Aguanambi podem ser atrasadas. Operários e fornecedores denunciam atrasos e a falta de recebimento de verba por parte da empresa responsável, a construtora Ferreira Guedes. A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf) afirma que não tinha conhecimento da situação e que não existem pendências financeiras por parte da Prefeitura.

Um funcionário que preferiu não se identificar denunciou ao O POVO Online que pagamentos referentes a novembro e dezembro do ano passado ainda não foram entregues. Ele considera que o andamento lento das obras no trecho próximo à Faculdade Maurício de Nassau, onde há semanas não se vê movimento intenso de operários, se dá devido a isso. “Eles trabalham com terceirizados e não pagam os fornecedores, deixa faltar equipamentos. Atraso é normal, agora ficar quatro meses sem pagar prejudica o funcionário e a cidade”, critica.

Conforme a fonte, a decisão de paralisação, caso os pagamentos não fossem efetuados até esta segunda-feira, 9, partiu do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem em geral no Estado do Ceará (Sintepav-CE), do setor de construção pesada. “Eles disseram (ao sindicato) que pagariam hoje. Decidimos que se não pagassem, pararia tudo”, diz.

O coordenador de obras de infraestrutura da Seinf, Guilherme Gouveia, afirma que a Prefeitura não tinha conhecimento dos atrasos nem da possibilidade de paralisação. “Não temos conhecimento, inclusive nós não devemos nada à construtora, nenhum tipo de pagamento, nenhum tipo de medição que esteja em aberto”, declara. Ele garante que a Seinf irá verificar o caso, e, se comprovado que a empresa está de fato falhando com os pagamentos, irá ser notificada e multada.

O funcionário entrevistado pelo O POVO Online conta que, por ser uma situação recorrente de atrasos, a Prefeitura já teria sido notificada. “Está sendo informado para a Prefeitura e ela não está fazendo nada. Ela está sendo um pouco omissa, deveria tomar uma atitude”, considera. Guilherme relata que, quando tomou conhecimento da irregularidade, entrou em contato com o engenheiro da Ferreira Guedes responsável pela obra, e ele informou que estava tudo “regularizado”.

As obras na avenida Aguanambi, que ocorrem desde fevereiro de 2016, envolvem um conjunto de intervenções na região, como a requalificação viária da avenida, com a implantação de um novo sistema de drenagem, calçadas, quatro quilômetros de ciclovia, instalação de oito estações de ônibus junto ao canteiro central, além da urbanização e reforma de duas praças e da rotatória existente sob o novo viaduto. 

Segundo o coordenador de obras da Seinf, a parte relacionada ao sistema viário deve ser entregue até o final deste mês, a fim de liberar parte das vias e melhorar o trânsito local. “A gente não tá inaugurando, a gente vai liberar para minimizar os impactos no trânsito”, salienta. 

O POVO Online tentou contato com o grupo Agis, responsável pela construtora Ferreira Guedes, mas não obteve respostas até o fechamento desta matéria. 

TAGS