PUBLICIDADE
Notícias

Diretor do Fortaleza assassinado em saidinha bancária não havia sacado dinheiro

11:45 | 24/04/2018
NULL
NULL
[FOTO1]Os suspeitos presos pelo latrocínio do empresário Roberto Mamede Studart Soares, morto na tarde dessa segunda-feira, 23, confessaram o crime. A dupla, formada por um homem de 23 anos e um adolescente, afirmou em depoimento à Polícia ter escolhido a vítima de forma aleatória após identificar indícios de que ele teria sacado dinheiro. Mamede, no entanto, teria feito um depósito bancário e não sacado valor em dinheiro.
 
Conhecido como Betinho, Roberto Mamede Studart era diretor de Esportes Amadores e Olímpicos do Fortaleza Esporte Clube. Ele foi assassinado com três tiros após reagir ao assalto no Banco do Brasil da avenida Santos Dumont, no bairro Papicu. A dupla não roubou nenhum bem da vítima. Este é o terceiro caso de saidinha do ano. 

[SAIBAMAIS]Em ação coordenada pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o adolescente de 17 anos foi preso por volta das 3 horas da madrugada desta terça-feira, 24, em Morada Nova. Ele fugiu para o município, distante 168 km de Fortaleza, por ter familiares que moram lá. O adolescente já havia sido apreendido em janeiro e dezembro de 2017, por roubo e receptação, respectivamente. Ele foi apreendido com flagrante de ato infracional. 

Luis Djacy Rodrigues de Sousa Junior, de 23 anos, foi preso por volta das 5 horas da manhã, no bairro José Walter, e autuado por latrocínio e corrupção de menor. Ele já tinha duas passagens por roubo. 

Conforme o titular da DHPP, Leonardo Barreto, os suspeitos colaboraram com a investigação e contaram, em detalhes, a ação criminosa. Ambos moradores do Grande Jangurussu, combinaram anteriormente de sair em uma motocicleta em busca de vítimas.

"Um deles afirmou que a vítima seria outra pessoa em uma moto, mas eles não conseguiram abordar. Viram o Mamede saindo, aparentemente com volume no bolso e pensaram que ele havia feito saque", informa o delegado. A investigação aponta que o adolescente é o autor dos disparos, enquanto Djacy teria prestado apoio na moto.

O titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, afirma que a dupla escolheu a vítima ao ser vista saindo da agência bancária. "A vítima teria colocado as mãos nos bolsos, dando a ideia de que havia sacado alguma quantia em dinheiro", relata. Mamede reagiu a abordagem dos criminosos. Em depoimento à Polícia, os suspeitos afirmaram que só atiraram após a reação da vítima.  

"A gente vem trabalhando fortemente e mês a mês alcaçando uma redução de assaltos que traz resultado na redução dos latrocínios. Em 2017 não houve aumento em comparação a 2016. E no primeiro trimestre deste ano tivemos redução de 40% nos latrocínios", diz o secretário.
  
A Polícia descarta a participação de uma terceira pessoa no crime.
 
Vídeo mostra ação criminosa

Imagens de câmeras de segurança mostram em detalhes a ação criminosa. É possível ver o momento em que ele entra no carro, dentro do estacionamento, e quando surge o autor dos disparos, que aborda a vítima no veículo, seguido de confronto corporal. 

O vídeo mostra que o criminoso chega a cair no chão. A vítima desce do carro e vai em direção a ele, quando acontecem os disparos. O POVO Online opta por não mostrar o momento em que os tiros são disparados. Assista abaixo o momento da abordagem e do confronto até antes do assassinato:
[VIDEO1]
 
Precauções para não ser vítima de saidinha

A polícia orienta que o principal a se fazer em situações de risco de saidinha bancária é observar o ambiente para não ser surpreendido. "O ideal é não transportar dinheiro, mas se precisar, ir acompanhado de mais pessoas. Eles procuram o alvo mais fácil", diz o titular da SSPDS. Ele afirma que idosos, mulheres e pessoas que estão sozinhas em agências bancárias podem ser vistas pelos criminosos como potenciais vítimas. (Colaborou: Gabrielle Zaranza / Especial para O POVO Online)
 
TAGS