PUBLICIDADE
Notícias

Paço Municipal tem esquema de segurança reforçado após onda de ataques

A rua São José tem acesso interrompido por grades e gelo baiano. O trânsito é desviado à rua Sobral, na lateral da Catedral Metropolitana de Fortaleza

15:56 | 26/03/2018
NULL
NULL
O Paço Municipal, no Centro de Fortaleza, tem acessos restritos desde a manhã deste domingo, 25. Maior número de guardas municipais pôde  ser vistos ainda na manhã desta segunda, 26. A rua São José tem acesso interrompido por grades e gelo baiano. Assim, o trânsito é desviado à rua Sobral, na lateral da Catedral Metropolitana de Fortaleza. 
 
[FOTO1] 
As mudanças puderam ser vistas após a série de ataques na Capital desde a noite de sábado, 24, quando pelo menos dez atentados foram contabilizados em ônibus, torres de telefonia e prédios públicos. Parte do prédio da Regional IV foi destruía em incêndio na madrugada.
 
[SAIBAMAIS] 
Não foram percebidas, porém, mudanças no esquema de segurança da Câmara Municipal, da Assembleia Legislativa, do Palácio da Abolição e da sede da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

No total, foram 10 ônibus atacados na Capital contabilizados pelo O POVO neste fim de semana, sendo 7 no sábado e 3 neste domingo. Um caminhão também foi alvo dos criminosos em Fortaleza. 

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), localizada na Avenida dos Expedicionários, no bairro Montese, foi atacada a tiros, assim como a 2ª Cia do 8º Batalhão da Polícia Militar, no Meireles; e a 18ª Unidade do Juizado Especial Cível e Criminal, no Conjunto Prefeito José Walter. Já a Secretaria Regional IV foi incendiada. 

Duas torres de telefonia, no bairro Jardim Iracema e outro na av. Maestro Lisboa, também foram incendiadas. Houve ainda duas manifestações com queima de pneus nas avenidas Cel Carvalho e Mozart Lucena, nos bairros Vila Velha e Quintino Cunha, respectivamente. 
 
Outros atentados foram registrados nos últimos dois dias. Na última quinta-feira, 22, criminosos tentaram invadir um prédio dos Correios, no bairro Antônio Bezerra. Sem sucesso, eles deixaram cartas espalhada pela rua Góis Monteiro em que fazem ameaças ao Governo do Estado. 

Na madrugada deste sábado, a sede da Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus), na Aldeota, também foi atacada. Por volta das 1h30min, homens dispararam contra o prédio, trocaram tiros com a Polícia e três morreram. Foram apreendidas com eles armas e uma granada.

Houve duas manifestações com queima de pneus nas avenidas Coronel Carvalho e Mozart Lucena, nos bairros Vila Velha e Quintino Cunha, respectivamente. Nas ocorrências, composições do Corpo de Bombeiros Militar atuaram para combater os incêndios.
 
Na Região Metropolitana, mais de 60 veículos foram queimados no município de Cascavel, a 65 km de Fortaleza, em um prédio da Prefeitura. Além disso, material de escritório, como cadeiras e birôs, foram destruídos.  

Segurança
A SSPDS informou que, desde o último sábado, a Polícia Militar reforçou o policiamento, com apoio da Guarda Municipal de Fortaleza, no tocante a coletivos e corredores onde há o tráfego de veículos do transporte urbano da Capital. O plano de segurança foi traçado durante uma reunião que envolveu, além da cúpula da SSPDS, representantes da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus).

Policiais em motocicletas e viaturas estão distribuídos em rotas mapeadas pela Etufor e pelo Sindiônibus. Já nos terminais, o reforço acontece em parceria com a Guarda Municipal de Fortaleza. Acontece também uma ocupação tática nas garagens das empresas de ônibus. Duas aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) também participam da ação, sobrevoando as áreas pré-definidas pelos órgãos responsáveis.

Sobral
O prédio da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), em Sobral, foi também atacado. De acordo com as investigações, as chamadas de pessoas ameaçando incendiar o prédio partiram de um chip cadastrado no nome de José Fábio Alves da Silva Maciel, 36, que se encontra preso por tráfico e furto, na Penitenciária Industrial Regional de Sobral. Durante a vistoria na cela do suspeito, realizada neste domingo, foram apreendidas drogas e celulares, incluindo o aparelho que originou as ligações.
 
Outros seis são investigados pelos ataques na Capital. A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) está responsável pelas investigações.
 

TAGS