PUBLICIDADE
Fortaleza
transporte público

Tarifa de ônibus em Fortaleza aumentou 55% em três anos

Em 2015, ano em que o valor da passagem de ônibus subiu duas vezes, o bilhete custava R$ 2,20. Com o novo reajuste, a inteira passa a custar R$ 3,40

16:20 | 30/01/2018
Ônibus passam por canteiro central em avenida
(Foto: Mateus Dantas / O POVO)
O reajuste da tarifa de ônibus começa a valer no próximo sábado, 3, em Fortaleza. Com aumento de 6,25%, a inteira passa de R$ 3,20 para R$ 3,40. Um aumento de R$ 0,20. De janeiro de 2015, quando houve o primeiro reajuste da gestão Roberto Cláudio (PDT), até este ano, o valor da inteira cresceu R$ 1,20 (55%).

Conforme decreto publicado no Diário Oficial do Município, a tarifa estudantil sobe de R$ 1,40 para R$ 1,50, correspondendo a 44,1% da passagem inteira. O reajuste entra em vigor após semanas de negociações entre a Prefeitura e a cúpula do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus). 

A porcentagem é superior à correção pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E). De janeiro de 2015 a dezembro último, o índice no período foi de 1,21, que corresponde a 21,5 %. O Sindiônibus destaca que a inflação tem baixa relevância no reajuste, já que é o valor da passagem que faz parte dos itens que influenciam na inflação.
 
A categoria reivindicava 20% de reajuste. Como justificativa, o Sindiônibus apresentou a elevação dos insumos como diesel e questões salariais com motoristas e cobradores. Em 2017, a tarifa de ônibus subiu 45 centavos, 16,36% em relação ao valor anterior. O índice de reajuste da passagem de 2017 foi o maior desde fevereiro de 2003 e superou o aumento anterior, em outubro de 2015.
 
O que diz o Sindiônibus 
Em nota, o Sindiônibus afirma que, desde novembro de 2017, alertou as autoridades municipais, diretamente à Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), sobre "o desequilíbrio enfrentado pelo setor". Os cálculos que definem o reajuste dos valores tomam como base a metodologia adotada tradicionalmente no País, ainda conforme o Sindicato. 
 
"De forma simplificada, o valor da tarifa corresponde à divisão do custo do serviço pela quantidade de passageiros pagantes. A defasagem decorreu do efeito acumulado do aumento do custo e da redução da quantidade de pagantes", diz a nota. "Mais do que o aumento de preço de insumos, o maior impacto decorreu da redução na quantidade de pagantes, efeito em maior parte da crise econômica que afeta o País".

Ainda conforme nota do Sindiônibus, o passageiro que paga a passagem integral é onerado por conta dos descontos e gratuidades concedidos no transporte público, como a meia estudantil e a gratuidade para idosos. Para o Sindicato, o problema é que a gratuidade é concedida pelo poder público "sem fonte de custeio".

"Entendemos e respeitamos os motivos que levaram o Município a reajustar o valor da tarifa aquém da necessidade atual e buscaremos nos ajustar à nova realidade, adequando nossos custos e investimentos para evitar um colapso na prestação do serviço", conclui a nota. 

Confira os valores

3/2/2018

R$ 3,40 (inteira)
R$ 1,50 (meia)

Tarifa social

R$ 2,80 (inteira)
R$ 1,20 (meia)

Hora social 

R$ 3,20 (inteira)
R$ 1,40 (meia)

14/1/2017

R$ 3,20 (inteira) 
R$ 1,40 (meia)

Tarifa social

R$ 2,60 (inteira)
R$ 1,10 (meia)

Hora social

R$ 3,00 (inteira)
R$ 1,30 (meia)
 
7/11/2015

R$ 2,75 (inteira)
R$ 1,30 (meia)

Tarifa social

R$ 2,15 (inteira)
R$ 1,00 (meia)

Hora social

R$ 2,55 (inteira)
R$ 1,20 (meia)

15/1/2015

R$ 2,40 (inteira)
R$ 1,20 (meia)

Tarifa social

R$ 1,80 (inteira)
R$ 0,90 (meia)

Hora social

R$ 2,20 (inteira)
R$ 1,10 (meia)
 
Redação O POVO Online