PUBLICIDADE
Notícias

Creche em Fortaleza é "carinhoso reconhecimento", diz viúvo da professora Heley

Centro educacional que leva o nome da professora Heley de Abreu, morta durante incêndio criminoso em creche de Minas Gerais, foi inaugurado oficialmente na última sexta-feira, 26

09:45 | 29/01/2018
NULL
NULL

[FOTO1]

Presente na inauguração do Centro Educacional Infantil (CEI) que leva o nome de sua esposa, professora Heley de Abreu Silva Batista, o viúvo Luis Carlos Batista, junto dos filhos, conta que a homenagem é uma "grande honra" para a família. A creche, localizada no bairro da Serrinha, em Fortaleza, foi inaugurada oficialmente na última sexta-feira, 26, também com a presença do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

"Vocês tão distantes, sem conhecer a Heley, tiveram essa forma tão carinhosa de reconhecimento pelo ato divino que a Heley fez. Para nós é uma honra muito grande", diz Luis Carlos.

A professora Heley ficou conhecida por ter conseguido salvar boa parte das crianças que estavam na creche Gente Inocente, em Jarnaúba (MG) durante incêncido criminoso causado pelo vigilante Damião Soares dos Santos.

"Eu e minha família, meus filhos, a gente tá ainda sofrendo um pouco. É muito recente também isso. Esse convite que a Prefeitura fez pra gente vir aqui é uma grande honra pra gente, uma satisfação imensa. A população, a Prefeitura e os educadores daqui se comoveram. Estão sendo solidários, compartilhando conosco essa dor também", conta Luis Carlos.

Segundo ele, o nome de Heley "está sendo levado em muitos lugares, muitos Estados", no meio da educação. "Foi uma repercussão praticamente mundial. Essa solidariedade, esse compartilhamento que a população de Fortaleza está tendo está sendo de extrema importância e muita alegria para nós."

Para o prefeito Roberto Cláudio, a escola é "especial" por receber o nome de Heley, "uma professora que morreu tragicamente tentando salvar crianças".

"É uma heroína, uma professora que, mais do que educar e se entregar a educação, deu a sua vida para salvar as crianças. É uma escola que vai estar guardada num lugar muito especial no peito, no coração da cidade de Fortaleza", garante o prefeito, que ainda comemora a presença dos familiares de Heley. "É uma felicidade. Eles vieram de Minas Gerais acompanhar essa homenagem do povo cearense, do povo de fortaleza, a um exemplo, a um mártir, exemplo heroico de dedicação a causa educacional e a vida e proteção das crianças."

O sacrifício da professora Heley

Heley morreu no início de outubro por incêndio criminoso provocado pelo vigia da Creche Gente Inocente, em Janaúba (MG). Na ocasião, a professora conseguiu salvar parte das crianças menores que estavam na creche, mas não conseguiu sobreviver aos ferimentos de queimadura. 

Além dela, outras 13 pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas. Sua atitude de coragem lhe rendeu título de heroína nas redes sociais e a medalha de honra ao mérito, concedida pelo presidente Michel Temer (PMDB).

O Centro Educacional Infantil

A CEI custou cerca de R$ 2,5 milhões e tem vaga para 230 crianças, de um a cinco anos de idade. Com área total de 2.295m², dispõe de dez salas de aula com banheiros adaptados, refeitório, lactário, fraldário, brinquedoteca e área de lazer com playground, além de áreas administrativas, como a coordenação e secretaria, sala de professores e despensa. 

De acordo com o prefeito Roberto Cláudio (PDT), o equipamento contará com "cinco refeições por dia, professores concursados, material didático, dando todo o acolhimento que a criança precisa", com "infraestrutura moderna e bem equipada". "Além de ótimos professores com capacidade de fazer a diferença na vida dessa meninada."

Redação O POVO Online 

 

 

TAGS