Comandante geral realiza mudanças na inteligência da PM após chacinas Notícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


Comandante geral realiza mudanças na inteligência da PM após chacinas

Comandos de Icó, Senador Pompeu e Crateús também sofrem mudanças

11:33 | 30/01/2018
NULL
NULL

[FOTO1]

O Comandante Geral da Polícia Militar, coronel Ronaldo Viana, fez uma série de trocas de cargos da Polícia Militar. As mudanças foram publicadas no Boletim do Comando Geral da última segunda-feira, 29, mesmo dia em que aconteceu a chacina de Itapajé, que deixou 10 presos mortos e 48 horas após a chacina do bairro Cajazeiras, em Fortaleza, com 14 mortos.

Quem assume a Coordenadoria de Inteligência policial é o coronel Paulo Sérgio Braga Ferreira. Anteriormente, o cargo era ocupado pelo tenente-coronel Demétrius Gurgel de Castro, que agora assume o cargo de orientador da célula de análise, operações e contrainteligência.

O coronel Paulo Sérgio, ao assumir o cargo na Inteligência, deixa o comando do Policiamento Metropolitano. A vaga será ocupada pelo coronel Jean David Pinto Falcão, que era do Comando de Policiamento da Capital. 

Mais mudanças no Interior
No município de Senador Pompeu - onde houve fuga de 10 presos da cadeia pública da cidade - assume o capitão Hauryson Batista Cavalcante, e em Icó assume o capitão Juarez de Sousa. Na 1ª Companhia do 7º BPM, Crateús, quem assume é o major Vicente de Paula Andrade Junior.

Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), o comando do 15º BPM, Eusébio, é de atuação do coronel Giovane Martins de Sousa, conforme o boletim.

 

Coletiva 

Na última segunda-feira, 29, o secretário da Segurança Pública e Defesa Social, André Costa, concedeu uma entrevista coletiva na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para apresentar a prisão de cinco suspeitos de envolvimento com a chacina. Na ocasião, também foram mostradas as armas apreendidas e munição.

Ainda ontem, André Costa desmentiu boatos de que entregaria o cargo e anunciou medidas contra as facções criminosas. Na coletiva, o delegado geral, Everardo Lima, falou que seriam aprofundadas as investigações sobre a chacina de Itapajé.

 

TAGS