PUBLICIDADE
Notícias

Grávida é constrangida por motorista e cobrador de ônibus por não embarcar pela porta dianteira

16:00 | 03/11/2017

Uma grávida foi constrangida por um motorista de ônibus e um cobrador, que pararam o veículo na tentativa de obrigar a jovem a descer e embarcar pela porta dianteira, onde estava localizada a catraca. O flagrante foi registrado por uma passageira que estava no coletivo que faz a linha 211 - Vila Velha - Antônio Bezerra, da empresa Aliança, no início da tarde desta sexta-feira, 3. As imagens mostram os passageiros intervindo em favor da grávida, para ela não descer do veículo.

De acordo com uma passageira, que terá a identidade preservada, ao subir no coletivo pela porta traseira, a gestante foi até o cobrador para entregar o dinheiro da passagem, mas ele se recusou a receber. “Ele mandou ela descer e subir pela porta diantenteira, para passar pela catraca. Como a jovem não atendeu a ordem, ele ficou gritando com ela”, disse.

Conforme a testemunha, no momento que o ônibus passava pela rua Deputado Matoso Filho, no bairro Quintino Cunha, o motorista parou o coletivo, desceu, foi até o local onde estava a gestante e mandou ela descer. “Nesse momento nós ficamos revoltados com o desrespeito deles com a mulher, eles não respeitaram nem o fato dela estar grávida e intervimos para que ela não descesse do ônibus”, afirma.

 

Ainda segundo a passageira que flagrou a ação, o ônibus ficou parado por cerca de 10 minutos. Devido o constrangimento, a grávida começou a passar mal e o ônibus seguiu viagem.

 

O POVO Online entrou em contato com a Empresa Aliança, que informou que não irá se pronunciar.

 

Em nota, o Sindiônibus informou que mulheres gestantes têm direito de embarcar pela porta de desembarque, segundo a Lei Municipal 7.163/1992, que trata do Regulamento do Transporte. A nota também informou que, caso haja o descumprimento do profissional, a usuária poderá registrar reclamação através do Alô Sindiônibus, informando o número do veículo, dia e horário, para que a empresa tome as devidas providências.

TAGS