PUBLICIDADE
Fortaleza
saúde

Pesquisadores da UFC trabalham para desenvolvimento de teste rápido do zika vírus

Hoje, a pesquisa está em fase de testes. O desenvolvimento do kit ainda deverá levar mais um ano até que seja lançado

22:40 | 11/09/2017

Ivanildo José da Silva Junior é coordenador da pesquisa na UFC (Foto: Jr.Panela/UFC)

Um kit rápido capaz de detectar o zika vírus horas após o teste está sendo desenvolvido por pesquisadores do Laboratório de Processos de Separação e Cromatografia (LAPS&C), do Departamento de Engenharia Química da Universidade Federal do Ceará (UFC). A solução é estudada em parceria com grupos da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). As informações são da Agência UFC.

O professor e coordenador do trabalho na UFC, Ivanildo José da Silva Junior, afirma que a ideia é que a novidade seja utilizada na rede pública. A pesquisa é resultado de uma chamada pública voltada para a área da saúde, financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.  

Hoje, o diagnóstico é feito em um período de 4 a 7 dias. Esse tempo é em decorrência da atual técnica, que só dá possibilidades de encontrar a presença do DNA ou RNA do causador da doença quando o vírus estiver circulando no organismo.

Em 2016, cinco testes foram aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Mas esses testes apresentam falsos positivos. O motivo é porque o diagnóstico é confundido com o vírus da dengue e outras arboviroses.

Para esta iniciativa, a vantagem é o tipo de proteína que será utilizada, a NS1. Ela estabelece uma ligação bastante particular com cada arbovírus, afastando a possibilidade dos falsos positivos e dando maior precisão de diagnóstico. 

Hoje, a pesquisa está em fase de testes. O desenvolvimento do kit ainda deverá levar mais um ano até que seja lançado.

Redação O POVO Online