PUBLICIDADE
Notícias

20 policiais militares pediram desligamento do curso dos "Caveiras" no Ceará; restam 24 alunos

Logo no primeiro dia do curso, cinco policiais pediram para sair do Coesp

18:55 | 08/09/2017
NULL
NULL

[FOTO1]Após uma semana do Curso de Operações Especiais (Coesp), que começou com 68 policiais militares, 20 profissionais pediram desligamento e restaram apenas 24. O curso começou no dia 1º de setembro. As informações são do coordenador do curso e comandante do Policiamento Especializado, coronel Aginaldo de Oliveira.

Segundo o coronel Aginaldo, o exame começou com 68 inscritos e apenas 44 passaram no exame de seleção, sendo 38 do Ceará e seis de outros estados (três do Amazonas e três do Mato Grosso). Pediram desligamento um policial do Mato Grosso e 19 do Ceará. Logo no primeiro dia do curso, pediram desligamento cinco alunos.

[FOTO2]Os militares estão confinados em um campo de treinamento que funciona em uma fazenda no município de Palmácia, a 73 quilômetros de Fortaleza. "Eles estão no campo de treinamento, estão isolados. Lá eles aprendem noções de nós e amarrações, manutenção de armamento, natação utilitária, essa última muita gente sai, pois é um treinamento puxado. Eles entram na água com todo o equipamento, como mochila, farda e tem que se manter dentro da água com todo o equipamento. Só nessa fase saíram oito", explica o coordenador.

Ainda na fazenda, os alunos têm instruções de Controle de Distúrbios Civis e também de operações com munições químicas. Conforme o comandante do BPE, quando retornarem à Fortaleza, os PMs iniciam o curso de cinotecnia, que é de adestramento com cães, regimento de Polícia Montada e seguem para o salvamento aquático e salvamento de altura, no Corpo de Bombeiros.

No decorrer do mês e até o fim de outubro, eles ainda terão aulas de ações antibombas, com o esquadrão antibombas do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate). Já durante o mês no novembro começam as viagens. O curso tem duração de 16 semanas.

 

Viagens 

 

[FOTO3]O Coesp finaliza no começo de janeiro. Durante o mês de novembro, o curso acontece fora do Estado. O primeiro lugar a ser visitado é Belém, no Pará, na base dos fuzileiros navais, em seguida Goiás, para o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar de Goiás. Ainda em Goiás haverá visita ao Batalhão de Forças Especiais do Exército Brasileiro, onde os alunos devem conhecer a atuação das operações especiais dos exércitos. Saindo de Goiás, os alunos seguem para o Rio de Janeiro e vão conhecer o Batalhão de Operações Especiais (Bope).  

 

Os alunos devem passar uma semana com os caveiras do Rio de Janeiro em treinamento de operações em áreas de alto risco. Por último, a viagem para Recife, onde conhecerão a Companhia Independente de Operações e Sobrevivência em Área de Caatinga (Ciosac). Equipes com instrutores de outros estados também visitarão o Ceará. No curso de 1996 entraram 50 alunos e terminaram 14. Já o curso que começa nesta sexta-feira, 1º, começa com 12 oficiais e 32 praças, entre os oficiais existem profissionais do Amazonas e Mato Grosso.  

 

TAGS