PUBLICIDADE
Notícias

Músico e esposa são acusados de aplicar golpe em, pelo menos, 14 casais

O número de vítimas pode ser ainda maior. Músico fechava contratos abaixo do preço do mercado. Ele chegou a tocar no casamento de uma das vítimas, há seis anos, e teria dado o golpe para o aniversário da filha dela

16:50 | 06/07/2017
NULL
NULL
[FOTO1] 
A promoção era tentadora. Enquanto bandas de casamento com a mesma qualidade costumam fechar contratos com valores entre R$ 4 mil e R$ 5 mil, a proposta do músico era de R$ 2.500 com banda completa e clarinata, podendo ser reduzido a R$ 1.600. O barato saiu muito caro e mais de 14 casais de noivos e uma mãe de debutante foram alvos de desfalque. Eles estiveram na manhã desta quinta, 6, na Delegacia de Defraudações e Falsificações, no bairro Aeroporto, em Fortaleza, para denunciar suposto golpe dado por um músico que fechou contrato, recebeu o dinheiro e desapareceu.
 
Era a esposa do músico a responsável por fechar os contratos com os clientes. Uma das festas de casamento será realizada no próximo sábado, 8. “Não sei o que eu vou fazer. A minha sorte é que uma madrinha, que também vai casar, conseguiu encaixar a mesma banda dela, mas por um preço bem mais barato. Como a gente não tinha dinheiro, eles deixaram pagar depois da festa, com a benção de Deus”, agradece a professora, que pediu para não ser identificada. Outro casal, que também optou pelo anonimato, é vítima do segundo golpe: além da banda, também foram enganados por empresa de decoração, que declarou falência.
 
"Nós fomos até a casa dele, no João XXIII, e não encontramos ninguém", conta a professora. Ela diz que a vidraça que ficava em frente à residência foi retirada e foram colocados correntes e cadeados. 

Um outro casal acabou de fechar o contrato com a banda, no dia 27 de junho. “Me encontrei com eles na quarta da semana passada e estava tudo ok. Ontem, fui na casa deles e encontrei a vidraça arrancada, com correntes e cadeados no lugar. Fiquei desesperada”, conta a noiva. Outra delas afirmou ter recebido uma carta do músico, em que ele dizia mais de 20 anos de atividade e que, por conta da crise econômica no País, "até mesmo os instrumentos foram penhorados”. Ainda na carta, o músico se compromete a entrar em contato com os clientes para "solucionar os termos do distrato da melhor forma possível, a fim de minimizar os transtorno ocasionados".
 
O titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações, Jaime de Paula Pessoa, declara que tem assistido com certa frequência, casos do tipo. Ele informou que deve instaurar os inquéritos dos 15 casos que foram hoje denunciar o suposto golpe: 14 casamentos e um aniversário de 15 anos. “É importante que as pessoas contratem profissionais de empresa, com CNPJ, porque são mais difíceis de ter o contrato desfeito. Eles relatam que contrataram e, até o momento, o músico não deixou de cumprir nenhum dos acordos. Mas sumiu e não conseguem mais entrar em contato com eles”, informa.
 
O delegado acredita que outros casais de noivos também podem ter sido vítimas do músico e pede que as denúncias sejam feitas na Delegacia de Defraudações e Falsificações.
 
Serviço
Delegacia de Defraudações e Falsificações: rua Professor Guilhon, 606 - Aeroporto. 
 
Redação O POVO Online 

TAGS