PUBLICIDADE
Notícias

Motorista de caminhão é detido pela Guarda Municipal após confusão no Centro

Testemunhas afirmam que houve abuso de autoridade, mas Guarda narra desacato. Equipe utilizou spray de pimenta e munição de baixa letalidade contra condutor, que foi detido e levado até a delegacia

16:58 | 07/07/2017

Um motorista de caminhão foi detido por desacatar guardas municipais, por volta das 10h desta sexta-feira, 7, após estacionar em local proibido no cruzamento das ruas Meton de Alencar e Barão de Aratanha, no Centro. Testemunhas afirmam que houve abuso de autoridade na ação da equipe da Guarda Municipal.
[SAIBAMAIS]

Segundo o comerciante Carlos Casoba, o motorista estava, de fato, em um local proibido, onde descarregava garrafões de água. Entretanto, Carlos diz que a equipe da Guarda Municipal agiu com "arrogância". "A Guarda mandou tirar da esquina porque estava atrapalhando o trânsito. Houve abuso de autoridade. Ficou um disse me disse. Jogaram spray de pimenta. Ele correu e deram três a quatro tiros (de bala de borracha)", comentou.

Conforme o inspetor Demócrito, comandante das Inspetorias Especializadas da Guarda Municipal, foi dada voz de prisão, mas o motorista do caminhão não obedeceu. "Alguns populares tentaram intervir, e o uso da força foi necessário para conter a situação. Não houve feridos, nem situação complicada", afirmou. O caminhão também foi rebocado.

O motorista foi levado para o 34º Distrito Policial (DP), onde assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por desacato. Após o procedimento na delegacia, ele foi liberado.

Direção da Guarda nega abuso de autoridade
A direção da Guarda Municipal negou abuso de autoridade e detalhou a ocorrência, por meio de relato do diretor-adjunto do órgão, inspetor Marcílio Távora. "Abordaram o condutor e pediram para ele retirar o veículo se não seria feito auto de infração. Ele já se exaltou, alegando que havia batido o veículo um dia antes e seria prejudicado com essa sanção", informa.

O inspetor Marcílio diz que o motorista começou a "alterar o comportamento", sendo utilizado então o spray de pimenta contra ele. A Guarda sustenta que, neste momento, o motorista proferiu palavras de baixo calão e lançou pedras contra a composição, que sacou a espingarda de calibre 12, com munição de baixa letalidade. "Foram efetuados dois disparos, ele foi atingido e adentrou em um prédio público, onde foi imobilizado por um segurança", narra o diretor-adjunto.

Quando o motorista era conduzido à viatura, outro homem apareceu se identificando como sargento do Exército. "Esse cidadão contestou o uso do armamento, e foi esclarecido que as munições as quais utilizamos são de baixa letalidade", completa Marcílio.

Por fim, o inspetor diz que uma composição da Polícia foi acionada por meio da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), mas acabou não acompanhando a equipe da Guarda até a delegacia.

 

Redação O POVO Online 

TAGS