PUBLICIDADE
Notícias

Metrô de Fortaleza passa a receber cartões eletrônicos recarregáveis

A medida ainda não vale para os passageiros que têm gratuidade no transporte, como idosos e meia passagem, no caso dos estudantes

18:37 | 12/07/2017
NULL
NULL

[FOTO1]O sistema de pagamento da passagem com cartões recarregáveis está disponível aos usuários das 19 estações da Linha Sul do Metrô de Fortaleza (Metrofor). A medida implantada na última segunda-feira, 10, assemelha-se aos vales-transportes eletrônicos usados nos coletivos da Capital, conhecido como passcard. O cartão Metrofor ainda não abrange meia passagem e gratuidade de idosos.


Antes, os cartões eram distribuídos carregados com passagem única, sem possibilidade de recarga, recolhidos pela catraca eletrônica após liberação do embarque. Com a implantação do novo sistema, os usuários que compram duas ou mais passagens ficam de posse do cartão recarregável – que não é recolhido pela catraca. Caso o usuário solicite apenas uma passagem, receberá o cartão para apenas um embarque, que será recolhido ao passar na catraca.


Como funciona

O usuário pode adquirir o cartão gratuitamente nas bilheterias das estações. Lá, estará disponível a compra de duas ou mais passagens. Outra opção é solicitar qualquer valor em crédito, acima de R$ 3,20. O passageiro paga apenas o valor das passagens ou o valor solicitado em créditos no cartão.


A cada embarque, será debitado do cartão o valor de uma passagem inteira (R$ 3,20), até o consumo total do saldo. Restando crédito menor que R$ 3,20, será necessário uma nova recarga - com valor mínimo para completar uma passagem inteira – para voltar a utilizar o cartão. As recargas podem ser realizadas em qualquer bilheteria, sendo obrigatória a apresentação do cartão. Todos os valores inseridos em crédito têm validade de seis meses. Futuramente, a medida deve abranger todos os perfis de passageiros.


                                                                                

                                                                                  Redação O POVO Online

TAGS