PUBLICIDADE
Notícias

Entidades reivindicam mais debate na elaboração de Plano de Educação Ambiental de Fortaleza

15:45 | 11/05/2017

A Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) elabora o Plano de Educação Ambiental de Fortaleza. A previsão é que o projeto, apresentado a entidades da área no último mês, fique pronto em dezembro deste ano. A segunda oficina sobre o plano ocorre na tarde desta quinta-feira, 11, ocasião em que as entidades levam contrapropostas à primeira versão apresentada pela Seuma.

Segundo a coordenadora do Instituto Verdeluz, Beatriz Araújo, a preocupação agora é alterar substancialmente a metodologia do Plano de Campinas, utilizado como base. "A metodologia de Campinas é ótima, mas alguns pontos interessantes precisam ser recuperados. Precisamos de mais tempo e mais reuniões, se o tempo for encurtado, não será a mesma coisa", avalia.

A coordenadora lembra a importância do engajamento da sociedade para a elaboração do plano. "A educação ambiental nas escolas é importantíssima, pois é quando as crianças são formadas e poderão se tornar adultos conscientes. Nosso objetivo é que o plano seja o mais completo possível e, de fato, ensinado para garantir um futuro sustentável", frisa Beatriz.

Professora de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade de Fortaleza (Unifor), Lamarka Lopes Pereira também prepara contraproposta. "A estrutura apresentada separou em eixos, como água e lixo. Não que não possa ser trabalhado dessa forma, mas a política nacional prevê uma divisão em educação formal e informal. A população deve ter um direcionamento. Eu escuto muito falar que o povo é mal educado, mas ninguém ensinou", articula.

Em nota, a Seuma afirma que, entre os órgãos municipais, as ações para elaboração do Plano Municipal de Educação Ambiental começaram em fevereiro último com reuniões entre os órgãos afins, como a Secretaria Municipal de Educação (SME). O cronograma de atividades terá oficinas temáticas de capacitação até julho para a formatação do projeto final.

Segundo o órgão, 60 entidades, entre públicas e privadas, oficializaram a participação após convite da Seuma.  A missão do plano, de acordo com a secretaria, é “colaborar para a construção de uma Fortaleza mais educada, sustentável, compartilhada e gentil”. O projeto é inspirado nos modelos adotados em Campinas, Joinville, São Paulo e Teresina.

TAGS