PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Em protesto contra demissões, vigilantes anunciam paralisação nas escolas municipais

O sindicato que representa os vigilantes no Estado aponta que 600 profissionais foram demitidos e deixam as escolas até o começo de março. A paralisação será iniciada nesta quinta-feira, 23, e deve continuar até o fim do Carnaval

16:02 | 22/02/2017

O Sindicato dos Vigilantes do Estado do Ceará (Sindivigilantes) deliberou, na manhã desta quarta-feira, 22, paralisação nas escolas municipais de Fortaleza. O movimento deve iniciar nesta quinta-feira, 23, e as escolas devem ficar sem vigilantes durante o Carnaval, caso não haja acordo com a Prefeitura. A categoria estima que cerca de 600 vigilantes, de um total de 700 nas escolas, estão de aviso prévio.

A categoria vinha realizando protestos contra as demissões e fez uma manifestação na Câmara Municipal, na última quinta-feira, 16. Na época, a Secretaria Municipal da Educação (SME) divulgou que os vigilantes de aviso prévio fazem parte de contrato que está sendo encerrado.

Na assembleia desta manhã, participaram cerca de 280 vigilantes, de acordo com o presidente do Sindivigilantes, Daniel Borges. "Os vereadores não conseguiram uma reunião com a Prefeitura. Estávamos tentando não paralisar porque sabemos o problema que isso pode causar, mas essa foi a solicitação aprovada para pedir diálogo", disse o presidente do sindicato.

Ele aponta que os vigilantes demitidos ficam nas escolas até o próximo dia 4 de março. "A gente sabia que ia ter uma redução, mas não uma demissão em massa. A Prefeitura diz que a segurança será feita pela Guarda, mas do nosso ponto de vista não será suficiente", frisa Borges.

O POVO Online procurou a SME, que informou ainda não ter sido notificada sobre a paralisação.

Redação O POVO Online

TAGS