PUBLICIDADE
Notícias

Prefeitura estuda inclusão de carros elétricos e GPS em táxis e redesenho das linhas de ônibus

As medidas para melhorias no sistema de transportes foram anunciadas na manhã desta quinta-feira. O início dos estudos está previsto para maio de 2017

11:25 | 19/01/2017

A criação de um programa de modernização do sistema de táxis de Fortaleza e lançamento de edital para novas vagas estão entre as ações anunciadas hoje pela Prefeitura. Até maio, será feito um estudo para analisar a viabilidade da inclusão de táxis elétricos e da padronização do uso do GPS na frota de carros da rede. Outra medida anunciada foi o plano de acessibilidade sustentável para utilização de ônibus, com 11 pesquisas a serem iniciadas em maio de 2017.

As medidas foram divulgadas pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT) na manhã desta quinta-feira, 19, no Auditório do Paço Municipal. A ideia é que um grupo de estudos multidisciplinar seja formado para analisar o programa de modernização do sistema. O lançamento do edital de licitação para novas vagas e para o programa de aperfeiçoamento está previsto para maio de 2017.

O pacote conta com redimensionamento e requalificação dos pontos de estacionamento para táxi, com estudo de alocação de novas vagas e melhorias na sinalização dos espaços. Em entrevista, o prefeito reiterou que considera ilegal a atividade da empresa Uber em Fortaleza, afirmando que o papel da Prefeitura é fiscalizar as irregularidades no transporte não regulamentado.

Na ocasião, plano de acessibilidade sustentável para o uso de ônibus urbanos também foi lançado. A ação será financiada pela Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com recursos estimados em 5 milhões de dólares. Um estudo para verificar o tempo de deslocamento da população e a qualidade no sistema será realizado em dois anos, segundo o prefeito. O projeto visa o aperfeiçoamento dos itinerários e frequência das linhas de ônibus, além de analisar a lotação e integração de modais.

Dentre as 11 pesquisas que serão realizadas, o prefeito ressaltou a matriz de origem e destino como uma das mais importantes. O estudo verifica os locais de deslocamento dos usuários em diversos modais. Entre 2% e 4% da população devem ser ouvidos na pesquisa. O plano permite realocação das linhas em regiões que passaram por crescimento urbano nos últimos 20 anos, como a região do Ancuri, Curió, Siqueira.

O prefeito garantiu ainda que as mudanças no transporte público começam imediatamente após a conclusão dos estudos.

Redação O POVO Online com informações da repórter Thaís Brito

TAGS