PUBLICIDADE
Notícias

Idoso aguarda vaga para UTI há três dias

Desde a manhã da última terça-feira, 6, o paciente está na UPA Autran Nunes, esperando a vaga. Contudo, a unidade não tem recursos para diagnóstico e tratamentos adequados ao quadro

19:30 | 09/12/2016
Um homem de 67 anos deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro Autran Nunes, na última terça-feira, 6. Com a piora do quadro de saúde, Antônio Alberto Lopes precisa de uma vaga numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas ainda não há previsão para surgimento da vaga no Sistema Central de Leitos.
 
O paciente chegou a ter parada cardíaca, sendo reanimado pela equipe plantonista da UPA, mas a unidade não dispõe de recursos para investigação de diagnósticos e resolução do quadro. Antônio Lopes segue com suporte de oxigênio, em ventilação mecânica, com risco de morte.

Na manhã desta sexta-feira, 9, familiares do idoso foram à Defensoria Pública Geral do Estado requerer a vaga na UTI. Na sequência, o juiz Francisco Eduardo Fontenele Batista, da 7ª Vara da Fazenda Pública, determinou ao Governo do Estado que providencie, dentro de até 24 horas, a transferência para internação em uma UTI. Conforme a decisão, o Governo do Estado poderá pagar multa de R$ 5 mil por dia caso descumpra a determinação.
 
O POVO Online questionou, à Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, sobre a internação em UPAs e filas no Sistema Central de Leitos. Em nota, a pasta respondeu que o paciente deu entrada na manhã do dia 6, às 9h30, e foi atendido 13 minutos depois. "Apresentando edema generalizado e histórico de doença renal, ele foi atendido, medicado e realizou exames laboratoriais para definição de gravidade do quadro e decisão sobre a necessidade de observação e transferência".

No dia seguinte, o paciente foi incluído no Sistema de Regulação do Estado (CreSus) e do Município e aguarda transferência para hospital de referência.
 
"Ressaltamos que toda a assistência médica necessária a recuperação do paciente, está sendo ofertada. Inclusive, a realização de hemodiálise, dentro da própria unidade", completou a nota da Secretaria.
 
Por fim, a pasta defendeu a existência das UPAs como alternativa para desafogar os prontos-socorros dos hospitais, resolvendo "grande parte das urgências e emergências".
Redação O POVO Online
 
TAGS