PUBLICIDADE
Notícias

Ceará reduz em 18,5% número de homicídios e tem outubro menos violento desde 2011

Os dados foram apresentados pelo governador, na manhã desta sexta, 4. Camilo Santana aproveitou para falar sobre a greve dos policiais civis: "um desrespeito à Justiça e à população"

11:05 | 04/11/2016
NULL
NULL

[FOTO1] 

O Ceará teve queda de 18,5% no número de homicídios nesse último mês de outubro, em comparação com o mesmo período do ano passado. A redução também representa o mês de outubro menos violento dos últimos cinco anos. Foi o 14º mês seguido de queda nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) no Ceará e na Capital cearense.

Após redução generalizada no mês de setembro, apenas a região do Interior Norte apresentou aumento de 14,3%. Fortaleza e Interior Sul bateram a meta de redução de 6%, com quedas de 44,6% e 7,5%, respectivamente. Os dados foram apresentados pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 4.

Ao todo, foram registrados 278 homicídios, 63 a menos que o total de homicídios em outubro de 2015. Fortaleza teve redução de 44,6% as ocorrências de CVLIs. Foram 77 mortes em outubro deste ano, contra 139 no mesmo período em 2015.

Entre janeiro e outubro deste ano, foram mortas 2.789 pessoas no Estado, o que representa redução de 15,6% na comparação com mesmo período em 2015. No ano passado, até outubro, haviam sido registrados 3.306 CVLIs. Confira o gráfico:
[VIDEO1]
Greve dos policiais
O governador Camilo Santana classificou como "um desrespeito à Justiça e à população" a greve dos policiais civis, reiniciada na última quinta-feira, 27.

[SAIBAMAIS]Nessa quarta-feira, 9, os policiais realizaram protesto e pediram a saída de Andrade Júnior do comando da Delegacia Geral. A tensão começou depois que o delegado geral chamou os grevistas de "pilantras", e o áudio vazou nas redes sociais.

"Admito que me excedi no termo", disse ele na divulgação dos dados dos homicídios no Estado. Andrade Júnior reafirmou, no entanto, que a crítica aos que estão impulsionando a greve continua.

TAGS