PUBLICIDADE
Notícias

140 mil comprimidos recolhidos na maior apreensão da história do Ceará

Os medicamentos serão repassados para a perícia para identificar se, além da origem desconhecida, o grupo também adulterava os remédios

18:01 | 28/11/2016
NULL
NULL

[FOTO1]

A maior apreensão de comprimidos da história do Estado foi divulgada nesta segunda-feira, 28. Foram 140 mil remédios apreendidos na segunda fase da Operação "Tarja Preta", comandada pela Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD). Nesta fase, três homens foram presos suspeitos de fornecer os medicamentos. Na primeira fase da operação foram presas nove pessoas.

No último dia 22, Raimundo Nonato Macedo da Costa foi preso no bairro Cidade dos Funcionários com 101 mil comprimidos. Ele vai responder por crime contra a saúde pública e tráfico de drogas. As investigações, conforme Patrícia Bezerra, diretora adjunta da DCTD, apontam que Macedo era o fornecedor dos medicamentos para José Leonardo Sales de Freitas. Leonardo teve mandato de prisão cumprido nesta segunda, em sua residência, Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. Ele já havia fugido na primeira fase da operação.

Dois dias após a prisão de Macedo, a ação também tirou de circulação Antônio Gotardo Sousa Araújo, que fornecia os comprimidos para ele. Com Gotardo foram apreendidos aproximadamente 40 mil comprimidos. Ele responderá por crime contra a saúde.

Segundo Sérgio Pereira, diretor da DCTD, Gotardo era o principal fornecedor do esquema até agora e mantinha uma vida de luxo por conta da venda desses remédios. Ele foi preso no bairro Parquelândia.

A operação continuará e, segundo os diretores, o objetivo é sempre investigar e prender o fornecedor a cima do esquema. Os medicamentos serão repassados para a perícia para identificar se, além da origem desconhecida, o grupo também adulterava os remédios.

Redação O POVO Online/Colaborou Domitila Andrade
TAGS