PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Aprovado projeto que torna valor de estacionamento para motos 1/3 do cobrado para carros

Para o autor do projeto, Guilherme Sampaio (PT), a medida trata-se de um bom senso, pois os estacionamentos vão passar a cobrar o valor real para os motociclistas

20:17 | 27/10/2016
Motos estacionadas
Motos estacionadas (Foto: )

[FOTO1]A Câmara dos Vereadores de Fortaleza aprovou nesta quinta-feira, 27, o projeto de lei 184/2014 que visa estabelecer o valor da tarifa das motos para 1/3 do total cobrado por carros. Segundo o autor do projeto de lei, o vereador Guilherme Sampaio (PT), a medida vai ter um efeito social significativo, pois vai tornar a tarifa de estacionamento proporcional ao porte do veículo. Após ser aprovado na Câmara, o projeto de lei será encaminhado para a redação final em que será revisado e depois vai para sanção do Prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio.

O vereador disse ao O POVO Online que a iniciativa surgiu após várias queixas de motociclistas, que alegaram do valor desproporcional cobrado pelos estacionamentos na Capital. Em alguns casos, a tarifa das motos é igual a dos carros. “Os funcionários do aeroporto que andam de moto, por exemplo, reclamavam do valor pago que era igual aos dos carros”, disse Guilherme.


Para ele, não é justo que os motociclistas paguem o mesmo valor cobrado para os carros já que as motos são veículos de pequeno porte. “Entendemos que o espaço que um carro ocupa recebe, com folga, pelo menos três motos. Este foi o parâmetro que usamos para propor esta lei”, esclareceu o parlamentar.


O vereador ressaltou que a medida não vai afetar de um modo significativo no faturamento dos estacionamentos, mas terá um efeito social grande na cidade. “Fortaleza tem uma frota de veículos muito grande. Então, é uma medida de bom senso e não vai afetar de modo significativo o faturamento dos estacionamentos já que os clientes são em sua maioria carros e não motos”, afirmou. O projeto de lei só entrará em vigor quando for publicado no Diário Oficial do Município, após a sanção do prefeito.

                                              Redação de O POVO Online

TAGS