PUBLICIDADE
Notícias

Uece anuncia avanços no acordo com professores

Docentes afirmam que medidas divulgadas não são válidas como decisões

20:11 | 08/09/2016
A Universidade Estadual do Ceará (Uece) divulgou documento sobre avanços nas negociações da greve. De acordo com nota assinada pelo reitor Jackson Sampaio, entre as principais ações foi criado um grupo de trabalho para propor soluções referentes às questões salariais e  aprovado o Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários (Mapp) para obras nos campi da Uece em Itapipoca e Crateús. Categoria aguarda, no entanto, documento oficial emitido pelo parte do Governo Estadual. 

Há quatro meses de greve, a categoria revindica nomeação de 81 novos professores aprovados no concurso feito em 2015, liberação da verba para o campus Itapipoca, Plano de Cargos, ajuste salarial de 12,67%, referente às progressões e ascensões de cargos, dentre outros benefícios.

No documento de acordo, a universidade informa que no último dia 2 foi criado um grupo de trabalho para tratar das questões de reajuste salarial que realizou hoje a segunda reunião. De acordo com Célio Coutinho,  presidente do Sindicato de Docentes da Uece(Sindiuece), ainda não foi apresentada nenhuma proposta de reposição salarial/equiparação para os professores.

Outra iniciativa divulgada pela Universidade foi a mudança dos MAPPs do status de proposto
para o de aprovado. “Nossa Pró-Reitoria de Planejamento já está em contato com a Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado (Seplag) para o cronograma de publicação do contrato e de assinatura da ordem de serviço. 

A reitoria informou ainda que foi publicado em Diário Oficial o primeiro lote de publicações dos processos referentes aos direitos da carreira docente estabelecidos por lei, da UECE e da UVA. No caso da UECE, foram publicados 12 processos - de 176. 


Célio Coutinho confirma as iniciativas, mas afirma que as reivindicações da categoria e os acordos precisam ser assinados pelo Governo. “Esse documento emitido pela Uece, assinado pelo reitor, não tem validade oficial para que possa ser mostrado e avaliado me assembleia. Precisamos de decisões práticas e urgentes que são de competência do Governo Estadual”, explica. 

Entre as decisões, ele cita a proposta de reajuste salarial, a assinatura da ordem de serviço para os capus do Interior e a garantia de contratação dos professores aprovados em concurso. 

TAGS