PUBLICIDADE
Notícias

Condenado pela morte de bailarina é transferido para presídio do Ceará

Advogado foi preso no Distrito Federal após ser condenado em agosto. A bailarina morreu em 28 de dezembro de 1993, depois de uma discussão de trânsito entre Wladmir e ocupantes do carro em que ela estava

20:47 | 21/09/2016
NULL
NULL

[FOTO1] 

Wladmir Lopes de Magalhães Porto, 47, autor do disparo que matou a bailarina Renata Maria Braga de Carvalho, em dezembro de 1993, foi transferido para um presídio do Ceará na tarde desta quarta-feira, 21. Ele havia sido preso, no último dia 8 deste mês, em Brasília, onde residia com a família.

O crime ocorreu na avenida Beira Mar, em Fortaleza, e chocou a população pela banalidade da ocorrência, motivada por uma discussão de trânsito. Além disso, o fato também repercutiu pela demora da condenação de Wladmir, que foi julgado pela quarta vez, no dia 2 de agosto deste ano.

A pena de nove anos e dois meses de Wladmir Lopes deve ser cumprida, inicialmente, em regime fechado, conforme julgou a 1ª Câmara Criminal. Em primeira instância, o advogado havia sido condenado a 12 anos e seis meses em sentença da 5ª Vara do Júri de Fortaleza, em junho de 2015.

A mãe da bailarina, Oneide Braga, disse que a manutenção da condenação foi uma vitória.

Crime
Na madrugada de 28 de dezembro de 1993, na Beira Mar de Fortaleza, Wladmir Lopes de Magalhães Porto, na época com 24 anos, dirigia uma Pajero e disparou contra o jipe em que estava Renata, então com 20 anos de idade. O tiro atingiu a jovem no olho, que não resistiu aos ferimentos e morreu.

O motivo foi uma discussão entre o condenado e os ocupantes do carro em que estava a vítima. Wladmir estava acompanhado de irmãos e amigos, que ainda efetuaram disparos para o ar, depois do tiro que atingiu a bailarina.

Cronologia do julgamento

10/01/94
Wladmir é transferido da carceragem do 2º DP para o Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira (IPPO).

27/01/94
Por decisão judicial, é feita a reconstituição do crime sem a presença do acusado.

30/08/94
Wladmir foi solto por decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará.

18/02/97
1º Julgamento
Wladmir foi condenado a sete anos de prisão por homicídio simples (pena de 6 a 20 anos). Após a decisão do juiz, a defesa entrou com recurso para anular o julgamento e ele permaneceu solto.

14/03/97
O Tribunal de Justiça decidiu anular o julgamento de Wladmir. O julgamento foi anulado pelo STF por entender que o juiz Jucid do Peixoto Amaral, que presidiu o julgamento de fevereiro, deixou de aplicar um quesito obrigatório da defesa.

À época, a família e advogados de Renata comemoraram a anulação, pois acreditavam, que com o novo julgamento, Wladmir fosse condenado por homicídio qualificado no qual a pena era de até 30 anos- pena superior ao julgamento passado, ao qual foi a maior pena seria de até 20 anos.

06/02/2001
A acusação entra com pedido de mandado de segurança e pede a condenação por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e surpresa. Porém, o pedido foi rejeitado por unanimidade pelos desembargadores da 1º Câmara do Tribunal de Justiça.

20/6/2008
No 2º julgamento, Wladmir é absolvido. Decisão é contestada pela família da vítima.

02/6/15
No 3º julgamento, Wladmir é condenado a 12 anos e seis meses de prisão. Defesa recorre e Wladmir aguarda decisão em liberdade.

02/08/16
No 4º julgamento, Wladmir é condenado a nove anos e dois meses de prisão

TAGS