PUBLICIDADE
Notícias

Investigação sobre caso de menino morto por pitbull ainda está em andamento

Apuração administrativa sobre o caso do adolescente atacado por um cachorro, depois de pular o muro de um abrigo municipal, deve ser finalizada em julho, conforme a Setra

16:10 | 27/06/2016

O procedimento administrativo instaurado pela Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social e Combate à Fome (Setra) para apurar as responsabilidades da morte de um menino de 12 anos, atacado por um cachorro da raça pitbull no último dia 14 de maio, ainda está em andamento. O garoto foi morto após pular o muro do centro de acolhimento em que estava e cair em um canil na rua Senador Alencar, no bairro Jacarecanga.

Um dia após a tragédia, a Setra informou que cobraria explicações sobre o fato do jovem conseguir pular o muro da unidade, onde esteve abrigado desde o dia 9 de maio até o dia do ataque. O POVO Online procurou a secretaria nesta segunda-feira, 27, e foi informado que o processo será finalizado em julho.

A Setra disse, em reposta por e-mail, que todas as pessoas que trabalham no abrigo estão sendo ouvidas, mas não especificou quantas já prestaram depoimento. “O resultado do inquérito policial será incorporado à investigação. Não podemos passar mais informações sobre o andamento o processo antes da sua conclusão”, completou.

Além da apuração da Setra, um inquérito sobre o caso foi instaurado no 34º Distrito Policial, no Farias Brito. O laudo da Perícia Forense ainda não foi recebido, conforme o delegado Romério Almeida, titular do 34º DP.

“Estamos aguardando o laudo, mas constatou-se pelas oitivas que, na realidade, o garoto realmente fugiu do abrigo e caiu no local onde o cachorro estava. Foram ouvidos adolescentes na presença dos responsáveis, funcionários e os donos do abrigo, além do criador do canil”, disse Romério ao O POVO Online.

Ele explica que, por enquanto, não há crime. "Estamos aguardando o laudo para encaminhar ao poder judiciário. A priori, não há crime a se apurar. Essa parte de negligência do abrigo está sendo investigada pela Prefeitura", completa. O delegado também não divulgou o número de pessoas ouvidas até o momento.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) foi procurada durante a manhã e disse,  em nota, que os laudos pericial e cadavérico foram concluídos pela Perícia Forense e encaminhados à Polícia Civil.

 

TAGS