PUBLICIDADE
Notícias

Sejus confirma 14 mortes em rebeliões no sistema penitenciário

Ao todo, oito mortos foram identificados, enquanto outros corpos de seis presos ainda não foram reconhecidos. Governo convocou apoio da Força Nacional de Segurança

13:48 | 23/05/2016
A Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) confirmou a morte de 14 detentos durante os conflitos dentro das penitenciárias, no sábado, 21, e no domingo, 22. Ao todo, oito foram identificados, enquanto outros seis ainda não foram reconhecidos.

Os mortos identificados, até o momento, são: Luan Brito da Silva, 21 anos, que respondia por latrocínio; Paulo César de Oliveira, 46 anos, respondia por tráfico; Francisco Clenildo Felipe Costa, 40 anos, respondia por furto; Daniel Henrique Maciel dos Santos, 26 anos, respondia por homicídio e roubo; Diego Martins da Silva, 31 anos, respondia por roubo; Roberto Bruno Agostinho da Silva, 23 anos, respondia por homicídio; Rian Pereira Paz, 33 anos, respondia por tráfico de drogas; e Daniel de Sousa Oliveira, 22 anos, respondia por homicídio e roubo.

[SAIBAMAIS4] A assessoria da Sejus informa que equipes, também do Departamento de Arquitetura e Engenharia, estão avaliando os danos. Os presos quebraram celas e queimaram colchões, mas conforme a secretaria, o fornecimento de água e de comida não foi interrompido.

''Ainda hoje, iniciam os reparos em uma das unidades danificadas. Assistentes sociais estão na entrada dos complexos oferecendo apoio aos familiares. O Governo do Ceará vem tomando todas as medidas necessárias para estabilizar a situação. No domingo, o governador Camilo Santana solicitou o apoio da Força Nacional de Segurança, no sentido de garantir a estabilidade nos presídios'', completa a Sejus, em nota.

A visitação nas CPPLs II, III e IV, foi suspensa neste domingo, 22. O governador Camilo Santana (PT) informou, em sua página pessoal no Facebook, que solicitou apoio da Força Nacional de Segurança para estabilizar as rebeliões nos presídios cearenses.

Redação O POVO Online
TAGS