PUBLICIDADE
Notícias

Obras do VLT serão completamente retomadas ainda este mês, diz Seinfra

Prometido inicialmente para a Copa do Mundo, em 2014, o Veículo Leve sobre Trilhos deve ser entregue até março de 2017

18:10 | 02/03/2016
A obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que deveria ter sido entregue a tempo da Copa do Mundo, em 2014, será retomada em sua totalidade ainda neste mês de março, segundo a Secretaria da Infraestrutura (Seinfra). A licitação para a execução da passagem inferior da avenida Borges de Melo já foi finalizada. Segundo a assessoria de comunicação da pasta, o contrato deve ser assinado na próxima semana.
 
O trecho da avenida Borges de Melo, o último que faltava antes da retomada total da construção da linha que liga Parangaba ao Mucuripe, é o primeiro da obra dividida em três partes. O primeiro a ser retomado, em julho de 2015, o trecho 3 liga as estações Iate e Borges de Melo. Os trabalhos do trecho 2, iniciados em seguida, compreende as estações Borges de Melo e Parangaba.
 
Mais de 50% nas obras do VLT, que terá 12,7 quilômetros ligando o os bairros Mucuripe e Parangaba, já estão avançados. Desses, 11,3 quilômetros serão em superfície e 1,4 em trechos elevados. A obra deve afetar mais de 500 mil moradores distribuídos nos 22 bairros em que passa o ramal.
 
[SAIBAMAIS4]A extensão ferroviária Parangaba-Mucuripe é utilizada para transporte de carga. Com a remodelação, será para transporte de passageiros. A previsão é que 90 mil passageiros passem pela linha por dia. A estação deve ganhar ainda três tipologias. A de Parangaba será elevada, possibilitando integração à Linha Sul do Metrô de Fortaleza e ao terminal rodoviário do bairro. A estação do bairro Papicu se integrará à Linha Leste do Metrô e ao terminal rodoviário.

O secretário da Infraestrutura André Facó divulgará todas as informações sobre a obra em coletiva na manhã desta quinta-feira, 3, no Consórcio VLT Fortaleza. O trabalho ficará a cargo da empresa espanhola AZVI S.A do Brasil e da brasileira Construtora e Incorporadora Squadro Ltda. O trecho 1 custará R$ 25.957.15,02 e deve ficar pronto em 12 meses, contados a partir da data de assinatura da ordem de serviço.

Sucessão de problemas

Em maio de 2014, houve quebra de contrato com o consórcio CPE-VLT. O motivo apresentado pelo Governo para a rescisão foi o descumprimento dos prazos. Conforme O POVO publicou em junho do mesmo ano, o então governador Cid Gomes falou sobre suposto "despreparo" do consórcio formado pelas construtoras Consbem, Passareli e Engexata. A Seinfra afirmou que assumiria a obra "de maneira emergencial, para preservar o que já foi realizado". O Regime Diferenciado de Concorrência foi adotado para contratar novas construtoras de maneira mais rápida.

Uma nova licitação foi lançada em agosto de 2014. O certame com o consórcio VLT Fortaleza (Construtora Marquise S/A e Engesol Engenharia de Soluções Ltda.) foi considerado fracassado após análise técnica. Uma terceira tentativa ocorreu em dezembro daquele ano. Apenas a Sultepa Construções e Comércio Ltda. se candidatou. Foi considerada inabilitada para executar a obra.
 
Em abril de 2015, o governador Camilo Santana afirmou que a obra deveria ser entregue até julho deste ano. A ordem de serviço foi assinada pelo titular da Seinfra em agosto.
 
Redação O POVO Online
TAGS