PUBLICIDADE
Notícias

WhatsApp era usado por dupla para combinar assaltos e negociar drogas em Fortaleza

Conversas sobre alguns pacotes com indicativos de serem drogas e uma foto de uma arma de fogo também foram encontradas nos aparelhos apreendidos com suspeitos

11:11 | 25/02/2016
NULL
NULL

A Polícia Civil descobriu negociações do tráfico de drogas e planos de assaltos a veículos via aplicativo WhatsApp, após a prisão de dois homens com um carro roubado, nesta terça-feira, 23, em Fortaleza. Os celulares apreendidos com os suspeitos continham mensagens indicando os delitos.

Durante uma ação de equipes da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), os inspetores identificaram um carro GM Prisma de cor prata, constando como roubado no sistema. Os policiais resolveram interceptar o veículo, que parou no acostamento.
[SAIBAMAIS2]
Os agentes de segurança se aproximaram, anunciaram que era a Polícia e ordenaram que o condutor do carro descesse. Contudo, o motorista deu partida e empreendeu fuga pelo acostamento da via.

O Prisma entrou na contramão da pista e seguiu pela avenida General Osório de Paiva. A perseguição continuou até os infratores colidirem o carro com outro automóvel, após trafegarem pela contramão da avenida Jardim Fluminense, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

O condutor do veículo, Anderson Rodrigues da Costa, 22, que responde por roubo e receptação, tentou correr, mas foi capturado. Já seu comparsa, identificado como Richardson Fontenele Alves, 20, que também responde por roubo e receptação, foi abordado quando tentava sair do carro pela porta do passageiro.
[FOTO2]
O carro em que a dupla estava foi roubado nesta terça, no bairro Aldeota, conforme a Polícia Civil. Richardson confessou o crime e foi reconhecido pelo delito. No porta-malas, foi apreendida uma pequena quantidade de crack e diversos sacos para a embalagem da droga. Com Anderson, os policiais ainda apreenderam R$ 773.

Uso do aplicativo para cometer crimes
Nos celulares apreendidos, a Polícia encontrou mensagens de negociação de entorpecentes e planos para assaltos a carro. Conversas sobre alguns pacotes com indicativos de serem drogas e uma foto de uma arma de fogo também foram encontradas nos aparelhos.

Richardson também havia enviado imagem do Prisma roubado para o comparsa e uma conversa combinando o crime. Além das mensagens de texto, eles gravaram áudios com orientações a respeito do negócio ilícito do tráfico de drogas.

A dupla foi levada para a DRFVC e autuada em flagrante por tráfico de drogas e receptação. Ao término do inquérito, eles ainda serão autuados por roubo.

 

Redação O POVO Online

TAGS