PUBLICIDADE
Notícias

Rebelião de adolescentes deixa dois educadores feridos no Centro Educacional Patativa do Assaré

Com essa ação, sobe para 20 o número de rebeliões e motins no sistema socioeducativo cearense, somente em 2016. Três jovens fugiram, conforme o BP Choque

20:32 | 21/02/2016

Atualizada às 21h50min

Adolescentes do Centro Educacional Patativa do Assaré (Cepa) fizeram uma rebelião na unidade, na noite deste domingo, 21, no bairro Ancuri, em Fortaleza. Dois educadores ficaram feridos e três internos fugiram, conforme o Batalhão de Polícia de Choque (BP Choque). Com essa ação, sobe para 20 o número de rebeliões e motins no sistema socioeducativo cearense, somente em 2016.

Segundo o major Alexandre Ávila, comandante do BP Choque, a rebelião começou por volta das 18 horas, mas foi controlada às 18h30min. Ele disse que dois educadores ficaram machucados, mas não foram repassadas informações sobre o estado de saúde deles. A confusão foi iniciada por jovens das celas 6 e 7, que serraram grades e passaram pela entrada da unidade, gerando tumulto entre os outros internos. A recontagem dos adolescentes foi finalizada por volta das 20 horas.

O juiz titular da 5ª Vara da Infância e Juventude de Fortaleza, Manuel Clístenes, diz que na última semana, houve rebeliões ou tumultos nos centros socieoducativos “praticamente todo dia”. “Os incidentes de médio e grande porte este ano estão mais constantes do que no ano passado. E mais, se contássemos esses casos pequenos, quando quatro ou cinco adolescentes jogam pedras em instrutores, por exemplo, o número [de ocorrências nos centros] seria bem maior”.

[SAIBAMAIS 3] Na última sexta-feira, 19, Clístenes participou de uma reunião com membros de órgãos ligados aos Direitos Humanos, como Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), além do titular da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS). “Até lá, tivemos o registro de 17 rebeliões ou motins, mas no mesmo dia ocorreram mais duas rebeliões”.

De acordo com o levantamento do juiz, 12 adolescentes fugiram de um centro, na quarta-feira, 17, e na quinta-feira, 18, adolescentes do Patativa fizeram reféns. Também na quinta, foram registradas outras três rebeliões nos centros educacionais São Francisco, Passaré e São Miguel.

"A reunião serviu para o Estado dar uma satisfações sobre a crise do sistema. A situação está delicada e, novamente, o Estado apresentou o Plano de Estabilização do Sistema Socioeducativo", completou Clístenes.

O POVO Online tentou entrar em contato com a STDS, na noite deste domingo, 21, mas as ligações ainda não foram atendidas.

Saiba mais
Em 2015, além das diversas fugas e rebeliões, algumas vezes simultâneas, orientadores dos centros chegaram a ser presos por "surra em massa" de internos.

Com a morte de um adolescente durante uma rebelião, o Governo do Estado apresentou, em novembro do ano passado, o Plano de Estabilização do Sistema Socioeducativo, com objetivo de “reestruturar o acolhimento e a prestação de serviço aos adolescentes em conflito com a lei”.

Apesar disso, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) deferiu medida cautelar contra o governo brasileiro por violações dos direitos de adolescentes no sistema socioeducativo cearense.

TAGS