PUBLICIDADE
Notícias

Hospital prioriza atendimento de bebês com microcefalia

O paciente será atendido por um psicólogo, pediatra, enfermeiro e fisioterapeuta, na qual será avaliada a história do parto e do período de gestação

18:46 | 16/02/2016
NULL
NULL
Diante do alerta mundial ao surto de zika e da associação da microcefalia com o vírus, os hospitais da Rede SARAH estão realizando o cadastro e priorizando os atendimentos para os bebês com más formações cerebrais, objetivando a estimulação o mais cedo possível. Para ser atendido, é necessário agendar a consulta por meio do site do hospital.
 
O prazo máximo do atendimento dura em torno de 30 dias. “A gente tem no site do SARAH um ícone específico para a consulta. Os responsáveis do paciente realizam o cadastro e já saem com data marcada para o atendimento”, explica a pediatra da unidade de Fortaleza, Juliana Rocha.

A primeira consulta é realizada de forma conjunta. O paciente será atendido por um psicólogo, pediatra, enfermeiro e fisioterapeuta, na qual será avaliado a história do parto e o período de gestação. “É a partir desse momento que começamos a planejar como serão as futuras consultas”, afirma Juliana.

Os seguintes atendimentos são interdisciplinares e periódicos, na qual o paciente vai ser acompanhado por fonoaudiólogos, nutricionistas, pedagogos e professores de educação física; orientações familiares com todos os membros da família, atividades de estimulação e exames de investigação. As atividades dependem da idade e do desenvolvimento da criança, na qual serão acompanhadas suas limitações. “A partir daí realizaremos as intervenções mais específicas”, explica a médica.

Segundo a pediatra, quando o bebê é diagnosticado com microcefalia por zika vírus, imediatamente é notificado ao Ministério de Saúde. Desde outubro, 13 casos foram atendidos. Do total, 10 tiveram diagnósticos confirmados com microcefalia e três casos com provável relação ao zika vírus. A equipe médica observa o aumento dos casos e vão se programar de acordo com a demanda para garantir o atendimento no período máximo de 30 dias.

As estimulações e os atendimentos precoces são de extrema importância por se tratar de uma doença que pode causar lesões neurológicas, ocasionando um atraso no desenvolvimento. 


Hospital Sarah Kubitschek
A unidade SARAH Fortaleza, inaugurado em 2001, realiza atendimentos de pacientes com microcefalia há 14 anos. Diante desse surto, a instituição vem priorizando os casos de microcefalia relacionados ao zika vírus. No ano de 2015, o hospital ampliou o atendimento em torno de 50% para os casos de Acidente Vascular Encefálico (AVE), Traumatismo Craniano (TCE), lesão medular e dores funcionais da coluna.
 

TAGS