PUBLICIDADE
Notícias

Buraco que provocou a morte de ciclista na José Bastos continua aberto

O idoso precisou desviar da abertura no asfalto e acabou atingindo por um ônibus, sofrendo um politraumatismo e morrendo nesta quarta-feira

19:11 | 12/02/2016
NULL
NULL
Segue aberto o buraco na pista da avenida José Bastos, na entrada do viaduto que dá acesso à avenida Eduardo Girão, onde o ciclista Vicente Veloso Neto, 67, o Xuxa, foi atropelado na última segunda-feira, 8. O idoso precisou desviar da abertura no asfalto, que estava coberto por água na ocasião, e acabou atingido por um ônibus, sofrendo um politraumatismo e morrendo nesta terça-feira, 9, no Instituto Dr. José Frota (IJF).

O POVO Online esteve na avenida José Bastos nesta quinta-feira, 11, e sexta-feira, 12, onde viu homens trabalhando para normalizar o asfalto esburacado, em trechos próximos ao viaduto, entre a rua Padre Cícero e a avenida Treze de Maio. Conforme a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), responsável pela intervenção na via, está sendo realizado um trabalho de recapeamento e seguirá até a próxima semana.

O buraco localizado na entrada do viaduto também será tampado, segundo o órgão. Nesta sexta, dois trechos flagrados pelo O POVO Online no dia anterior já haviam sido normalizados.

[FOTO2]
Na próxima segunda-feira, 15, grupos de ciclismo vão se reunir no local do acidente de Xuxa para um novo ato de homenagem ao ciclista. Segundo o corretor de empréstimos Rômulo Siqueira, ciclista que pedalava com Vicente, as intervenções no asfalto só acontecem após repercussões na mídia. "Eles só tampam os buracos quando tem cobertura da mídia ou acontece uma desgraça. Eles deveriam identificar um buraco e já tampar. Não tomaram providências de fechar logo isso (antes do acidente)", comentou Siqueira.

'Asfalto Sonrisal'
Comerciantes instalados na avenida José Bastos, próximo ao viaduto, classificam como "asfalto Sonrisal", devido aos problemas de buracos na via após chuvas. "Esse asfalto é de péssima qualidade. Tem buraco que cabe o pneu de uma moto. A chuva desmancha o asfalto, é horrível", criticou o comerciante Francisco Barreto, 51 anos.

[FOTO3]
Já dona Hilda Frota, 62 anos, também comerciante da região, diz que já perdeu as contas de acidentes no local. "Quando chove, tem acidente por conta de buracos abertos na pista. Tem esgoto que abre na via. Motoqueiro passa e se acidenta porque não vê o buraco", relato ela.
TAGS