PUBLICIDADE
Notícias

Dupla reconta clássicos infantis em ônibus de Fortaleza

Grupo "REcontadores de histórias" abre mão das simples narrativas dos contos para recontá-los de forma diferente e "melhorada". Veja vídeo

17:24 | 20/01/2016
NULL
NULL
Um conta um trecho de um clássico conto de fadas e, logo em seguida, outro o reconta. "Era uma vez uma linda menina que morava com a mãe perto de uma enorme floresta. Ela era muito bonita: tinha os olhos escuros e cabelos loiros", diz um. "Na verdade, ela era muito feia: tinha o olho torto, o cabelo mal pintado e morava perto de um matagal lá no Tabapuá", corrige o outro.
 
É assim que, desde novembro do ano passado, os colegas de faculdade, Jorge Raskolnikov, 38, e Isaías vasconcelos, 22, abordam passageiros de ônibus em Fortaleza.

Os dois integram o "REcontadores de histórias", grupo que transcende as narrativas simples dos contos, apresentando cada história "reformulada e melhorada", como definem.

Os contos de fadas dos irmãos Grimm, como "Branca de Neve", "Chapeuzinho Vermelho", "Os três porquinhos", "Rapunzel" e "João e Maria" estão entre as obras literárias revisitadas pelos amigos, ambos estudantes de licenciatura em Teatro do Instituto Federal do Ceará (IFCE).

Eles chegam a contar e recontar os contos, sejam os mesmos ou não, a depender do público e da simples vontade, cerca de 20 vezes por dia.
[VIDEO1]
Jorge, idealizador do projeto itinerante, destaca, no entanto, que não se trata de uma contação de histórias comum, pois na construção de cada texto são adicionados novos toques de ironia e humor.

"Escrevemos o novo texto, depois damos uma ensaiada e vamos nos ônibus. Também tem improviso, pois algumas vezes as pessoas fazem algum comentário", detalha Jorge, que ainda explica que a seleção de linhas específicas não se dá ao acaso.

"Não é querendo ser elite, mas a gente prioriza os ônibus que passam principalmente na Bezerra de Menezes, no Benfica, e vamos até a Unifor (Universidade de Fortaleza) porque nossa comédia é mais sutil. Não é todo mundo que vai entender", ressalta o estudante.

Após a apresentação, a dupla pede uma contribuição passando suas boinas aos ouvintes.

"Animação e conscientização"


Apesar de nem sempre agradar o público, o projeto vem encantando alguns fortalezenses. Naélio Santos, estudante de Jornalismo, por exemplo, fez questão de compartilhar com os amigos de uma rede social a satisfação que teve ao encontrar os 'Recontadores de história' na manhã desta quarta-feira, 20, na linha 74-Antônio Bezerra/Unifor.
 
"Aí você sobe no busão e começa a escutar uma história conhecida, mas com características bem brasileiras. São os Recontadores de Histórias trazendo uma nova narrativa de A Branca de Neve, com animação e conscientização política", escreve o estudante.

Segundo Naélio, a dupla fez da sua viagem do dia "mais descontraída" e reflexiva. "Eu nunca tinha visto eles. Peguei a história pela metade e achei super interessante porque eles contam de forma bem à brasileira coisas cotidianas, questões políticas e levam pessoas a repensarem essas coisas", elogia o universitário.
TAGS