PUBLICIDADE
Notícias

Justiça condena dois dos quatro mexicanos acusados de espancar advogados

Turistas chegaram a ficar detidos na penitenciária de Pacatuba, mas estavam cumprindo medidas cautelares. Dois deles foram absolvidos e podem retornar ao México

14:51 | 26/11/2014
NULL
NULL

Atualizada às 16h10min

O Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) condenou, em decisão expedida pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Fortaleza, dois dos quatro mexicanos acusados de espancar dois advogados, na Praia de Iracema, na noite de 29 de junho. Angel Rimak Eguren Cornejo foi condenado a um ano de reclusão e Sérgio Israel Eguren Cornejo a seis meses de detenção. Os outros dois estrangeiros envolvidos, Mateo Codinas Velten e Rafael Miguel Medina Pederzini, foram absolvidos.

Os quatro estavam cumprindo medidas cautelares, como não sair de Fortaleza, não frequentar locais de entretenimento nem ingerir bebidas alcoólicas. Com a absolvição, Mateo e Rafael Miguel podem retornar ao México. Angel Rimak Eguren Cornejo e Sérgio Israel Eguren Cornejo foram condenados por lesão corporal, pelo artigo 129 do Código Penal Brasileiro (CPB).

Segundo a decisão, as participações de Mateo Codinas Velten e Rafael Miguel Medina Pederzini  na agressão não foram comprovadas.  Angel Rimak Eguren, por outro lado, foi apontado como principal agressor de um das vítimas, que apresentou lesões de natureza grave.  Sérgio Israel Eguren Cornejo foi apontado, a partir de depoimentos de testemunhas, como agressor da segunda vítima, que teve lesões simples.

A decisão é do juiz Roberto Ferreira Facundo, em respondência pela 2ª Vara Criminal de Fortaleza, que definiu para Angel Rimak Eguren Cornejo um ano de reclusão e para Sérgio Israel seis meses de detenção. As reclusões podem ser substituídas por penas pecuniárias, com pagamento de, respectivamente, 20  e 30 cestas básicas a instituição de caridade. Em agosto, no dia 26, o pedido de revogação das medidas cautelares imposta ao grupo foi negado.

[SAIBAMAIS 4] O crime
Em 29 de junho, os irmãos advogados e a esposa de um deles cruzavam a pé a avenida Monsenhor Tabosa quando um dos mexicanos teria assediado a mulher. O turista estava dentro de um táxi com os outros três acusados. O marido teria discutido com os estrangeiros, que desceram do veículo e começaram a agredi-lo.

Com a chegada de uma viatura da Polícia Militar, todos foram levados para a Delegacia de Proteção ao Turista, onde receberam assistência do Consulado Honorário do México no Ceará. Os mexicanos foram autuados por lesão corporal grave. Antes de serem soltos, eles estavam presos em penitenciária na Pacatuba.

Redação O POVO Online
TAGS