PUBLICIDADE
Notícias

Polícia Federal investiga acusados de crime eleitoral

Em sua maioria, os militantes faziam propaganda eleitoral irregular para candidatos das coligações de Camilo Santana e Eunício Oliveira

15:10 | 05/10/2014
NULL
NULL

Das 8 horas às 13 horas, cerca de 60 pessoas foram conduzidas à Superintendência da Polícia Federal (PF), no Bairro de Fátima, acusadas do cometimento de crime eleitoral. Em sua maioria, as ocorrências estavam relacionadas à boca de urna. Um caso de compra de votos também foi confirmado. O acusado seria um homem identificado pela Polícia Militar como José Erinaldo, ex-vereador de Maranguape, que concorreu nas eleições passadas pelo Partido Progressista (PP). Ele foi flagrado com cerca de R$ 900 e vários santinhos de candidatos.

Por volta das 10h30min, um grupo de aproximadamente 12 pessoas foi conduzido até a PF. Os suspeitos estariam distribuindo material de campanha na região da Aldeota. Uma grande quantidade de materiais de campanha também foi apreendida pela Polícia Militar, entre bandeiras, adesivos, santinhos e até mesmo camisas de candidatos. A todo momento, viaturas chegavam ao prédio conduzindo casos de flagrante, como o de uma mulher foi apreendida enquanto distribuía santinhos de candidatos numa praça do bairro Jangurussu, próximo a um local de votação.

Em sua maioria, os militantes faziam propaganda eleitoral irregular para candidatos das coligações de Camilo Santana e Eunício Oliveira. Ao chegar na PF, os acusados recebiam apoio jurídico dos advogados das coligações, que fizeram um plantão na Superintendência.

[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

 

 


Inácio discute com PMs
Dentre as ocorrências registradas como boca de urna conduzida até a PF está o caso de um homem que teria sido flagrado distribuindo santinhos na Barra do Ceará. Ao ser detido pelos policiais, o acusado recebeu apoio do ex-senador Inácio Arruda, que visitava os locais de votação. Os PMs que atenderam a ocorrência contaram ao O POVO que o candidato a deputado Federal teria incitado os eleitores presentes a vaiar a composição.

Houve tumulto, mas o acusado acabou sendo conduzido até a PF. No local, militantes pró-Inácio afirmaram que os policiais teriam apontado a arma para o candidato “desnecessariamente”. “O cara após estava com os santinhos na mão. Não entregou pra ninguém”, alegou um deles. A confusão foi filmada por um internauta. Confira o vídeo:

[VIDEO1] 

 

Thiago Paiva

TAGS