PUBLICIDADE
Notícias

Mexicanos acusados de espancar brasileiros são transferidos para presídio em Pacatuba

Segundo a Polícia, estrangeiros teriam assediado a esposa de uma das vítimas, que são irmãos. Defesa dos estrangeiros nega assédio e agressão

19:29 | 02/07/2014

Os quatro turistas mexicanos que teriam espancado dois irmãos brasileiros, após jogo entre México e Holanda, na Arena Castelão, foram transferidos, nesta quarta-feira, 2, para o Instituto Penal Francisco Hélio Viana de Araújo,  Pacatuba, 32 km de Fortaleza. Os estrangeiros foram presos no último domingo, 30, e estavam detidos na Delegacia de Capturas (Decap), conforme a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

De acordo com a delegada Adriana Arruda, titular da Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur), o inquérito policial foi encaminhado ao Poder Judiciário. Entre os mexicanos, está o deputado Sérgio Israel Eguren Cornejo, 35, do Partido Acción Nacional (PAN). Os outros estrangeiros são o irmão de Sérgio, Angel Rimak Eguren Cornejo, 34 anos, publicitário; Mateo Codinas Velten, 35 anos, engenheiro; e Rafael Miguel Medina Pederzini, 31.

[SAIBAMAIS 2] As vítimas, dois irmãos que pediram para não ser identificados, dizem que os turistas assediaram a esposa de um deles. Após o assédio, o marido da mulher teria discutido com os mexicanos, que o agrediram. O irmão dele tentou impedir, mas também foi espancado.

A defesa dos estrangeiros diz que eles estavam no táxi a caminho do aeroporto. A esposa do advogado teria sido tocada por outro homem que vestia camisa do México. “A vítima achou que tinha sido um dos acusados, porque o táxi estava parado, e o agrediu. Depois de levar um soco ele (mexicano) desceu do carro”, alega o advogado Henrique Garcia.

Balanço <br>Segundo a SSPDS, desde o início da Copa, 11 turistas estrangeiros já foram detidos após cometimentos de crimes no Ceará. Entre eles, nove são mexicanos. Dois deles foram presos por desacato, quatro por lesão corporal grave e três por praticar violência em eventos esportivos. Além deles, um alemão e um grego também foram detidos, ambos por dano ao patrimônio. 

Redação O POVO Online

TAGS