PUBLICIDADE
Notícias

Fiança para as 66 pessoas presas em protesto no Pecém é de R$ 47 mil

De acordo com a titular do órgão, Maria Carolina, o Sintepav já pagou o valor e o grupo será liberado após encerramento do inquérito

17:59 | 26/06/2014
NULL
NULL

A Delegacia Municipal de São Gonçalo do Amarante estipulou uma fiança de R$ 47 mil para as 66 pessoas indiciadas por atos de vandalismo durante o protesto realizado no canteiro de obras da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). De acordo com a titular do órgão, Maria Carolina, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral no Estado do Ceará (Sintepav-CE) já pagou o valor e o grupo será liberado após encerramento do inquérito.

Ainda segundo a delegada, a fiança foi baseada em um salário mínimo para cada pessoa presa.

O protesto realizado na manhã desta quinta-feira, 26, teve, além das prisões, três veículos incendiados e dez carros depredados. O Sintepav condenou os atos de vandalismo em nota enviada ao O POVO Online.

"Não apoiamos nenhum movimento que possa trazer prejuízos financeiros ou danos pessoais durante nossas mobilizações", diz trecho do comunicado.

A Posco Engenharia & Construção do Brasil, responsável pela execução das obras da CSP, enviou uma nota ao O POVO Online se posicionando sobre os atos de vandalismo registrados durante o protesto. De acordo com a empresa, a greve é abusiva e ilegal por não cumprir nenhum dos requisitos da Lei de Greve.

Redação O POVO Online

TAGS