PUBLICIDADE
Notícias

População receberá orientações sobre uso de medicamentos

18:47 | 02/05/2014
NULL
NULL

A população receberá nesta segunda-feira, 5, orientações sobre o uso de medicamentos. A Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa) em parceria com o Conselho Regional de Farmácia irá realizar mobilização, no Dia Nacional de Promoção do Uso Racional de Medicamentos na Capital, Praça do Ferreira; Praça da Cruz Grande, na Serrinha; Praça Santa Cecília, no Bom Jardim e Praça da Matriz, em Messejana, e no interior do Estado.

Ao todo, 106 municípios do Ceará aderiram à Campanha para Promoção do Uso Racional de Medicamentos, que tem caráter permanente. As atividades de conscientização se iniciam às 8h e encerram às 18hs. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o mal uso de medicamentos pode acarretar em riscos de saúde para o paciente, como o caso de intoxicações. Em 2011, 29,5% dos casos foram causados pela automedicação.

Consequências do mal uso de medicamentos

Antibióticos: resistência bacteriana, que pode tornar mais complicado outros tratamentos.
Vitamina C: distúrbios gastrointestinais, cálculo renal.
Vitamina A: distúrbios neurológicos, hipertensão craniana.
Analgésicos: lesão no estômago, sangramentos, hemorragias internas, em caso de dengue.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) orienta que todo medicamento deve ter um registro do Ministério da Saúde. Caso não tenha, deve ser levado ao serviço local de vigilância sanitária. Não se deve utilizar medicamentos vencidos, nem embalagens velhas. As cápsulas não devem ser abertas. Os comprimidos não devem ser partidos, apenas se o médico recomendar. O paciente deve obedecer sempre os horários para ingestão indicados pelo médico na receita.

A bula também indica a quantidade, quantas vezes ao dia e por quanto tempo deve ser utilizado. O usuário da medicação não deve tirar os medicamentos da caixa e sempre guardar as bulas. Os medicamentos devem ser guardados longe da luz, umidade e do calor. Caso o paciente verifique algum efeito adverso, deve deixar de tomar e relatar ao profissional que lhe recomendou.

Se possível informar o efeito adverso a um serviço de Farmacovigilância. O paciente não deve guardar medicamentos em casa nem se automedicar são procedimentos fundamentais para evitar problemas. Não se deve manter uma farmacinha em casa.

 

Redação O POVO Online com informações da Sesa 

TAGS