PUBLICIDADE
Notícias

Agentes da AMC não trabalharão por 24 horas

Com a paralisação, os agentes devem manter somente uma pequena parte do efetivo trabalhando para atender a ocorrências graves

07:54 | 30/05/2014
NULL
NULL
Os agentes da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) paralisaram, no início desta manhã, 30, todos os serviços na cidade. O movimento será de 24 horas como uma forma de pressionar a Prefeitura de Fortaleza para que continue com as negociações com os servidores. Com a paralisação, os agentes devem manter somente uma pequena parte do efetivo trabalhando para atender a ocorrências graves.

Em fevereiro deste ano, a categoria também havia interrompido suas atividades, mas logo voltaram ao trabalho após entrar em acordo com a Prefeitura. No entanto, o acordo não foi cumprido, conforme o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort).

Nesta sexta-feira, no início da manhã, membros do Sindifort estiveram reunidos na Praça da Estrela, em frente à sede da AMC, na avenida Aguanambi. Em seguida, eles se dirigiram ao Paço Municipal, no Centro, para uma reunião com o prefeito Roberto Claúdio.

[SAIBAMAIS2]
De acordo com o diretor setorial de trânsito do Sindifort e agente de trânsito da AMC, Eriston Ferreira, a categoria quer melhorias até o início da Copa do Mundo. "Seria bastante complicado se isso (falta de cumprimento do acordo) se estendesse durante os jogos, pois o trânsito vai exigir nossos serviços", afirma.

Entre as principais reivindicações da categoria estão a mudança do nível de ingresso na carreira de técnico para superior; melhores condições de trabalho e valorização dos agentes diante das grandes obras, desvios e eventos constantes na cidade; correção salarial da categoria em relação à média das demais capitais do País e correção da jornada de trabalho de 36 para 30 horas semanais, assegurada no Plano de Cargos, Carreiras e Salários.

A redação do O POVO Online entrou em contato com a assessoria da AMC, mas ainda não obteve uma resposta.
Redação O POVO Online  

TAGS