PUBLICIDADE
Notícias

Feirantes ateiam fogo em caminhão de reboque; motorista é queimado

Motorista do veículo teve queimaduras de 2° grau durante confronto de feirantes com a Guarda Municipal; ele foi encaminhado ao IJF, no Centro

10:51 | 10/04/2014
NULL
NULL

Atualizada às 14:30

A operação de fiscalização da Regional do Centro na feira da Praça da Sé, na manhã desta quinta-feira, 10, terminou com um motorista queimado durante confronto entre feirantes e Guarda Municipal. Comerciantes jogaram pedras e atingiram com álcool e fogo o motorista de um caminhão de reboque da operação. Ele ficou ferido e foi encaminhado ao Instituto Doutor José Frota (IJF).

Participaram da operação a Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Polícia Militar, Guarda Municipal e Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC). A desocupação nos arredores da Catedral começou por volta das 6 horas, e, segundo a assessoria da SER Centro, a fiscalização ocorre devido ao desrespeito do ordenamento acertado no início de 2013.

Mercadorias que estavam expostas foram apreendidas e um carro irregular foi rebocado pelo caminhão, revoltando os comerciantes do local, que reagiram com pedras. Na confusão, os feirantes teriam jogado álcool em um dos motoristas, que estava dentro do veículo. Ninguém foi preso.

 O motorista, identificado como Gisevaldo Corrêa Lima, teve queimaduras de 2° grau nas pernas e braço, mas está consciente. Segundo informações do Centro de Tratamento de Queimados do IJF, ele tomou anestésico e está em observação. Ainda não há previsão de alta.

 Comércio

Segundo  secretário da SER Centro, Ricardo Sales, nenhum dos feirantes da área tinham autorização para o comércio ambulante. Ele disse que os feirantes possuem dois dias na semana para comercialização (madrugada de quarta-feira para quinta e de sábado para domingo), mas desrepeitam a ordem regularmente.

 A operação desta manhã, realizada no entorno da Praça da Sé, Catedral e rua Sobral, acontece semanalmente para coibir a ocupação irregular da área.

 Sindiguardas

Em nota, o Sindicato dos Agentes Municipais de Segurança Pública do Ceará (Sindiguardas-CE) repudiou a operação realizada pela Guarda Municipal de Fortaleza. Confira: "Os guardas não possuem equipamentos e nem treinamento adequados para atuarem neste tipo de Operação. Na ocasião, apenas o Grupo de Operações Especiais (G.O.E) possui treinamento e equipamentos (capacete, escudo, perneira).  Já os outros pelotões da GMDCF convocados para atuar na ação, o Ciclo patrulhamento, Pelotão Escolar, Pelotão Ambiental e duas viaturas da COIC- Departamento de Inteligência da GMDCF, não possuem sequer coletes a prova de balas dentro do prazo de validade ou capacetes. O sindicato acredita que sem o devido treinamento, planejamento e equipamentos perdem os servidores e principalmente a população. Então fica a indagação: Até quando a Direção da Guarda irá brincar com a vida dos servidores e da população?".

Redação O POVO Online

TAGS