PUBLICIDADE
Notícias

Secretário da Segurança será convidado a participar de Fórum da OAB-CE

O convite vai ser oficiado pela diretoria da OAB-CE "imediatamente", para que o secretário possa ser ouvido na próxima reunião, dia 6

16:36 | 31/03/2014
Atualizada às 19h

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, Servilho Paiva, será convidado a participar do Fórum Permanente de Debates e Propostas contra a Violência, promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), 

"Nós já ouvimos boa parte da sociedade civil, como representantes do Ministério Público, magistrados, delegados. A OAB já tem um grande volume de informações. É preciso ouvir o lado do secretário, saber qual a política que está sendo aplicada para que as propostas da OAB possam trazer o novo. Senão é mais do mesmo", explica o presidente da OAB-CE, Valdetário Monteiro.

A decisão foi tomada na reunião do Fórum, realizada nesta segunda feira, 31. Este foi o segundo encontro.

[SAIBAMAIS 1]O convite vai ser oficiado pela diretoria da OAB-CE "imediatamente", segundo acordo das entidades presentes. Isso para que o secretário possa ser ouvido na próxima reunião, na segunda-feira, 6.

"Queremos concluir a compilação dos dados, para a partir daí levar o resultado ao secretário. Em seguida, a gente vai encaminhar ao governador pessoalmente, seja ele o Cid (Gomes) ou outro. As propostas que vamos fazer tem reflexo para esse Governo e para os que vierem", afirma Valdetário.    

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara Municipal, vereador Benigno Júnior (PSC), participou do encontro. Ele propôs que uma das reuniões do Fórum seja realizada na Câmara Municipal, para estimular a participação de representantes dos bairros.

Participaram da reunião a Associação dos Cabos e Soldados Militares, da Associação de Praças dos Bombeiros e Polícia Militar e da Associação dos Policiais Bombeiros Evangélicos do Ceará. 

Defasagem de profissionais
Na abertura do Fórum, último dia 24, a defasagem no número de profissionais na segurança pública ganhou destaque. Segundo levantamento, pelo menos seis mil cargos precisam ser ocupados – entre juízes, defensores públicos, promotores, delegados, policiais e servidores. 

Redação O POVO Online

TAGS