PUBLICIDADE
Notícias

Professores e alunos fazem manifestação e exigem reunião com Cid Gomes

Um grupo saiu em passeata pelas vias próximas ao Palácio da Abolição e causou congestionamento na região

16:33 | 18/03/2014
NULL
NULL

O sindicato Apeoc (Associação dos Professores em Estabelecimentos Oficiais do Ceará) promoveu uma manifestação na manhã desta terça-feira, 18, próxima ao Palácio da Abolição, no bairro Meireles. Professores e alunos das escolas estaduais e municipais participaram do protesto, que começou por volta de 8 horas e se dispersou ao meio dia.

O grupo pediu uma reunião com o governador Cid Gomes para apresentar as reivindicações, entre elas, o reajuste do piso salarial, o vale refeição para professores temporários e a homologação de concurso para docentes aprovados em 2013.
[SAIBAMAIS1]
Uma comissão de oito pessoas foi recebida pela Secretaria Executiva do Gabinete no Palácio e ficou marcada uma reunião com Cid Gomes entre os dias 26 e 28 de março. Alguns professores questionaram a representatividade do sindicato e exigiram a participação de um outro segmento dos docentes na reunião, o que não foi atendido. Entretanto, no encontro com o governador marcado para março, a Secretaria garantiu que a categoria não será representada apenas pelo sindicato.

[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

Trânsito

Um grupo saiu em passeata pelas vias próximas ao Palácio da Abolição e causou congestionamento na região. Eles caminharam pela Tenente Benévolo, Carlos Vasconcelos, Historiador Raimundo Girão e retornaram para Silva Paulet, de onde saiu a passeata.

Resposta da Seduc

A Secretaria de Educação do Estado (Seduc) afirmou que o protesto é de âmbito nacional e é pautado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), que representa nacionalmente os professores.

"A Secretaria da Educação (Seduc) respeita esta ação e mantém um diálogo constante com a categoria, em reuniões com o Sindicato APEOC, de forma sistemática e contínua desde 2009, para tratar de assuntos ligados à valorização dos profissionais da educação", disse a Seduc em nota.

Redação O POVO Online com informações de Rômulo Costa, especial para O POVO

TAGS