PUBLICIDADE
Notícias

Praça José de Alencar recebe serviços de saúde para a mulher neste sábado

16:06 | 07/03/2014
Neste sábado, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a Praça José de Alencar recebe estrutura com quatro tendas e três consultórios climatizados, das 8h às 13h, para levar às mulheres orientações sobre alimentação saudável, abandono do tabagismo, verificação do percentual de gordura corporal, autoexame da mama, prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e aids, distribuição de preservativos. As tendas vão oferecer ainda serviços como aferição da pressão arterial, exercícios físicos orientados, distribuição de preservativos femininos e teste rápido de HIV e sífilis.

No caso da testagem rápido de HIV e sífilis, o público feminino terá prioridade. O homem que queira ser testado deve comparecer com sua parceira. Os resultados dos testes saem na hora. Durante a espera, haverá recital de poesias de escritoras com temas relacionados a mulher. A promoção é da Secretaria da Saúde do Estado.

DADOS

De acordo com o Vigitel 2012 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), do Ministério da Saúde, 5,3% da população feminina acima de 18 anos, em Fortaleza, avalia seu estado de saúde como ruim ou muito ruim. Entre os homens o percentual é de 4,5%.

Ainda segundo o Vigitel, na população feminina da Capital, há 5,4% de fumantes, 49,6% de mulheres com excesso de peso (Índice de Massa Corporal ≥25 kg/m2), 18,8% com obesidade, 17,7% que consomem refrigerantes cinco ou mais dias por semana, 16,4% que não praticam exercícios físicos, 6,5% que consomem bebidas alcoólicas em quatro ou mais doses em uma mesma ocasião, 23,2% com diagnóstico de médico de hipertensão arterial e 6,1% com diagnóstico de médico de diabetes.

No Ceará, foram registrados 13.208 casos de aids no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), desde o primeiro caso conhecido da doença em 1983, até novembro de 2013. A maioria dos casos (70,0%) foi notificada no sexo masculino, porém, observa-se crescimento da doença entre as mulheres.

Redação O POVO Online

TAGS