PUBLICIDADE
Notícias

Em três anos, porcentagem de estudantes da rede estadual aprovados no Sisu sobe 250%

Número de selecionados passou de 707, em 2011, para 2.481, em 2014

14:09 | 27/03/2014
NULL
NULL

Os estudantes da rede estadual que ingressaram no nível superior receberam uma homenagem na manhã desta quinta-feira, 27. Segundo dados do projeto 'Enem Chego Junto, Chego Bem', em três anos, a porcentagem de alunos aprovados pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) nas Universidades Federais e Institutos federais subiu para 250%.

Em 2011, 707 estudantes da rede estadual ingressaram em universidades e institutos federais. Em 2012, o número subiu para 1.401, enquanto em 2013 aumentou para 2.481, segundo o projeto.

No ano de 2013, o projeto iniciou as atividades nos primeiros dias do ano letivo, através da "Campanha da Documentação". Segundo a Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), transportes foram disponibilizados para levar os estudantes até os locais de solicitação de CPF e RG, para aquisição dos documentos necessários para inscrição no Enem.

Ao todo, foram 192 mil inscrições de alunos da rede pública do Ceará, com aprovação de 10.687 destes estudantes. Do total, 150 mil realizaram o Enem, sendo 2.481 aprovados nas instituições federais.

Nas universidades e institutos estaduais, 2.412 alunos foram aprovados, enquanto nas particulares o número chegou a 4.948. Já no Programa da Universidade para Todos (Prouni), 846 estudantes foram aprovados.

O aumento no número de aprovado também está relacionado a lei de cotas, na qual garante a reserva de 50% das matrículas por curso e turno nas 59 universidades federais e 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia a alunos oriundos integralmente do ensino médio público, em cursos regulares ou da educação de jovens e adultos. Os demais 50% das vagas permanecem para ampla concorrência.

"Temos esta política do governo da Dilma que garantiu 50% das vagas das instituições públicas para alunos que tenham sua história na escola pública. Isso não é favor ou achando que as pessoas são coitadinhas. Isso é o pagamento de uma dívida social muito alta. Isso não significa que a escola pública vai ficar numa zona de conforto e não precisa se esforçar para melhorar. Não, o aluno ainda precisa se esforçar para conseguir bons resultados. E a escola pública precisa continuar melhorando. É uma medida que revoluciona a educação, mas que ainda exige o esforço dos alunos", diz Izolda Cela, titular da Seduc.

Em 2014, o projeto 'Enem - Chego Junto, Chego Bem' dará continuidade às ações.

Redação O POVO Online

TAGS