PUBLICIDADE
Notícias

Mulher é presa acusada de fraudar placas e documentos de veículos

Um homem que mantinha um relacionamento com a acusada está sendo procurado, suspeito de participar das fraudes e até "esquentar" veículos para traficantes

10:54 | 12/02/2014
Uma mulher de 19 anos foi presa na manhã da última terça-feira, 11, no bairro Antônio Bezerra, em Fortaleza. A mulher é acusada de “esquentar” veículos roubados, fraudando documentos (identificação, habilitação, certificado de registro e licenciamento) e clonando placas de automóveis.

A acusada, identificada como Antônia Carline de Sousa Santos, foi presa em sua residência, no Conjunto Cidade Oeste, na rua 21. No local, a Polícia encontrou 20 placas de automóveis roubados ou furtados e material usado pra falsificação de chassi de carros, além de vários Slips de vistoria (documentos do Detran que possuem informações dos veículos utilizados para "esquentar" os roubados). Além disso, é suspeito de participar das fraudes um homem identificado como Francisco João Nobre Neto, 34 anos, conhecido como “Chiquinho” e que mantinha um caso com Carline.

Francisco ainda não foi localizado, mas em vistoria de sua residência, no bairro Jardim Jatobá, a Polícia encontrou munição calibre 32 e a quantia de R$ 2 mil. Ele já responde na Justiça pelos crimes de homicídio, receptação, lesão corporal e ameaça. Segundo investigações da delegacia de Narcóticos (Denarc), o acusado “esquentava” veículos para traficantes.

Embora mantivesse um caso com Carline, Francisco é casado. A mulher dele não teria envolvimento nas fraudes, de acordo com a Polícia. Carline foi recolhida para a carceragem da superintendência da Polícia Civil e será encaminhada para a Delegacia de Capturas e Polinter, no Centro. Ela não possui antecedentes criminais.

Investigação
Em dezembro de 2013, a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Carga (DRFVC) recebeu a denúncia do roubo de cerca de 500 espelhos em branco do Detran, prontos para serem preenchidos. O vazamento de documentos teria sido facilitado por algum funcionário, mas até o momento o envolvido não foi identificado.

Parte desses documentos em branco, usados para fraude, foi encontrada na residência de Carline. Ao todo, foram registrados 20 casos de veículos que tiveram identificação adulterada. A Polícia investiga se os acusados, Chiquinho e Carline, teriam participado, também, dos furtos de veículos.

Redação O POVO Online com
informações do repórter Thiago Paiva

TAGS